terça-feira, 31 de março de 2015

KATIA MACIEL EXPÕE NA FUNARTE MG

A artista e pesquisadora Katia Maciel inaugura, na Funarte MG, no bairro de Floresta – Belo Horizonte, a instalação Mar adentro, no dia 20 de março, às 19h. O projeto foi contemplado com o Prêmio Funarte de Arte Contemporânea 2014 – Galpão 5 – Funarte MG, para a ocupação do espaço.

A obra é interativa. Ela é acionada com a entrada do visitante no espaço expositivo. Ao caminhar sobre a areia branca a pessoa dispara sensores de presença, que projetam no local ondas simuladas. Elas vão e vêm, ao ritmo dos passos dos participantes. A interação se faz também entre eles, uma vez que há uma combinação entre das ondas que a presença de cada visitante produz, em tempo real.

Em exposição até o dia 5 de maio, Mar adentro é o quarto trabalho da artista sobre o mar. As outras obras foram: Ondas: um dia de nuvens listradas vindas do mar, Mareando e Vertigo.

Mar adentro
Instalação de Katia Maciel
Local: Funarte MG
Rua Januária 68, Floresta – Belo Horizonte (MG)
Inauguração: 20 de março às 19hs
Período de visitação: de 20 de março a 5 de maio
Site da artista: www.katiamaciel.net
Contato: kmacieltoledo@gmail.com


Seis bens brasileiros são incluídos na Lista Indicativa do Patrimônio Mundial da Unesco

Em cima, da esquerda para a direita: Teatro Amazonas, barragem do Cedro em Quixadá e Forte São João Batista do Brum, no Recife (PE). Embaixo, da esquerda para a direita: geoglifos do Acre, Sítio Roberto Burle Marx e Itacoatiaras do Rio Ingá. (Fotos: Iphan)

31.3.2015 - 17:14
 
Mais seis bens culturais foram incluídos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) na Lista Indicativa Brasileira do Patrimônio Mundial em 2015. Poderão ser futuramente apresentados ao Comitê do Patrimônio Mundial, os geoglifos do Acre, os teatros da Amazônia, as  Itacoatiaras do Rio Ingá, a Barragem do Cedro nos Monólitos de Quixadá, o Sítio Roberto Burle Marx e o Conjunto de Fortificações do Brasil para serem avaliados e receberem o título de Patrimônio Mundial.
 
Na última atualização da Unesco, em 2014, três bens culturais brasileiros haviam sido incluídos na lista, juntamente com outros 18 bens naturais e culturais: Cais do Valongo (Rio de Janeiro/RJ), a Vila Ferroviária de Paranapiacaba (Santo André/SP) e o mercado Ver-o-Peso (Belém/PA). Agora a Lista Indicativa brasileira tem 24 bens no total.
 
 A Lista é composta pela indicação de bens culturais, naturais e mistos, apresentados pelos países que ratificaram a Convenção do Patrimônio Mundial da Unesco. Essa iniciativa pode ensejar a participação de gestores de sítios, autoridades locais e regionais, comunidades locais, ONGs e outros interessados na preservação do patrimônio cultural e natural do país.
 
Conheça os novos bens culturais brasileiros inscritos na Lista Indicativa do Patrimônio Mundial:
 
Geoglifos do Acre (Acre): trata-se de estruturas de terra escavadas no solo e formadas por valetas e muretas que representam figuras geométricas de diferentes formas. Foram encontrados na região sudoeste da Amazônia ocidental, mais predominantemente na porção leste do estado do Acre, estando localizados em áreas de interflúvios, nascentes de igarapés e várzeas. As pesquisas arqueológicas nessas áreas, ainda que esparsas, dão conta de informações importantes sobre o manejo da paisagem amazônica por grupos indígenas que habitaram a região entre, aproximadamente, 200 AC – 1300 DC e sugerem um novo paradigma sobre o modelo de ocupação da Amazônia por densas sociedades pré-coloniais.
 
Teatros da Amazônia (Amazonas e Pará): construídos em finais do século XIX, os Teatros Amazonas, em Manaus, e da Paz, em Belém, são expressivos monumentos implantados nos dois maiores centros urbanos da região amazônica como símbolos do apogeu econômico alcançado e representado por um modelo de civilidade europeizada reproduzido nos trópicos em função do auge do Ciclo da Borracha na América do Sul.
 
Itacoatiaras do Rio Ingá (Paraíba): localiza-se na zona rural do Município de Ingá, a 105 km de distância da cidade de João Pessoa (PB). As primeiras manifestações de arte rupestre na Região Nordeste do Brasil são anteriores a 10.000 A.C. e, apesar dos escassos estudos sobre essas populações pré-históricas, constata-se a produção de uma arte expressiva de gravura rupestre com elevada capacidade técnica. O sítio das Itacoatiaras do Rio Ingá congrega o mais representativo conjunto conhecido desse tipo de gravura no Brasil, que se notabiliza pelo uso quase exclusivo de representações não figurativas na composição de grandes painéis de arte rupestre, exprimindo o gênio criativo de um grupo humano que se apropriou de padrões estéticos abstratos como forma de expressão e, possivelmente, de conceitos simbólico-religiosos, diferentemente de outras culturas que, em sua maioria, utilizaram-se de representações antropomórficas e zoomórficas.
 
Barragem do Cedro nos Monólitos de Quixadá (Ceará): a Barragem do Cedro, com sua parede em arco de alvenaria de pedra, foi a primeira grande obra hidráulica moderna do continente sul-americano e uma das construções pioneiras do seu tipo e do seu porte no mundo. Para além de sua funcionalidade de represamento d'água para irrigação, sua implantação, seu desenho e seu esmero de execução resultaram em uma paisagem de beleza ímpar, combinando arrojo e elegância, monumentalidade e singeleza, em uma simbiose entre o engenho humano e os monólitos que dão uma característica singular à natureza local.
 
Sítio Roberto Burle Marx – SRBM (Rio de Janeiro): compreendido como obra de arte, o SRBM espelha, de forma notável, a cultura, a energia criadora e a preocupação científica de Roberto Burle Marx, cuja obra, ao produzir o conceito moderno de jardim tropical, constituiu um paradigma especial no âmbito do movimento modernista brasileiro. Trata-se de um referencial de paisagem construída, um testemunho vivo da mudança do conceito europeu de jardim com rigor formal da composição geometrizada para o conceito de modernidade do jardim tropical como manifestação artística.
 
Conjunto de Fortificações do Brasil (AP, AM, RO, MS, SP, SC, RJ, BA, PE, RN): o conjunto de fortificações do Brasil apresenta-se como um testemunho material único de um contato produzido entre diferentes culturas do Velho e do Novo Mundo. As fortificações, edificadas em resposta a esses contatos, marcam o sucesso de uma fórmula singular de ocupação do território, em que os moradores do Brasil tiveram um papel mais fundamental do que a ação dos governos das metrópoles do Velho Mundo, ao contrário do que ocorreu em outras colônias europeias no resto do mundo.
 
As construções feitas com o objetivo de garantir a posse e a segurança dos novos territórios formam um conjunto sem semelhança a outros sistemas fortificados edificados no mesmo período em outros lugares do mundo, tendo um importante papel na ocupação territorial da América do Sul. Estão incluídos a Fortaleza de São José, em Macapá (AP); o Forte Coimbra, em Corumbá (MS); o Forte de Príncipe da Beira, em Costa Marques (RO); a Fortaleza dos Reis Magos, em Natal (RN); o Forte de Santa Catarina, em Cabedelo (PB); o Forte de Santa Cruz (Forte Orange), em Itamaracá (PE); o Forte São João Batista do Brum, no Recife (PE); o Forte São Tiago das Cinco Pontas, no Recife (PE); o Forte de Santo Antônio da Barra, em Salvador (BA); o Forte São Diogo, em Salvador (BA); o Forte São Marcelo, em Salvador (BA); o Forte de Santa Maria, em Salvador (BA); o Forte de N. S. de Montserrat, em Salvador (BA); a Fortaleza de Santa Cruz da Barra, em Niterói (RJ); a Fortaleza de São João, no Rio de Janeiro (RJ); a Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande, em Guarujá (SP); o Forte São João, em Bertioga (SP); a Fortaleza de Santa Cruz de Anhantomirim, em Governador Celso Ramos (SC); e o Forte de Santo Antônio de Ratones, em Florianópolis (SC).
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Com informações do Iphan

EXCLUSIVO: CAPA DO NOVO CD DE ZECA PAGODINHO


DESCONTOS EM LIVROS NA BIBLIOTECA TEATRAL DA EDITORA EREALIZAÇÕES


TOLEDO COM ARTE


2015: OS 100 ANOS DE ORLANDO SILVA


Orlando Silva

Orlando Garcia da Silva nasceu no Rio de Janeiro RJ em 03 de Outubro de 1915. 0 pai, José Celestino da Silva, tocou violão em uma das formações do conjunto Oito Batutas e era operário das oficinas da Estrada de Ferro Central do Brasil, no subúrbio de Engenho de Dentro; morreu da gripe espanhola, deixando o filho com três anos. Estudou nas escolas Padre Antônio Vieira, Visconde de Caxias e depois na Nossa Senhora das Dores, mas logo precisou trabalhar para continuar os estudos. Dos 14 aos 16 anos, foi aprendiz de cortador de sapatos e trabalhou no comercio. Mais tarde, conseguiu empregar- se como cobrador de ônibus. Desde pequeno, gostava de cantar e sempre carregava folhetos de modinhas, no bolso ou dentro dos cadernos de escola. Nunca chegou a estudar música ou canto. 
 
Em 1934, o compositor Bororó apresentou-o a Francisco Alves, que o convidou a cantar em seu programa na Rádio Cajuti. Nesse ano gravou seu primeiro disco, na Columbia, com o samba Olha a baiana (Kid Pepe e Germano Augusto) e a marcha Ondas curtas (Kid Pepe e Zeca Ivo), músicas lançadas no Carnaval de 1935. Em março de 1935, passou a atuar na Rádio Transmissora. No mesmo ano, por intermedio de Francisco Alves, assinou contrato com a Victor, onde seu primeiro disco trazia No quilometro 2 (J. Aimbere) e o samba Para Deus somos iguais (J. Cascata e Jaime Barcelos). Nesse mesmo ano, já havia gravado as músicas Lagrimas e Última estrofe (ambas do compositor Índio), que foram lançadas num disco de numeração posterior. Nessas gravações, foi acompanhado por um conjunto regional integrado por Pereira Filho (violão), Luís Bittencourt (violão) e Luperce Miranda (bandolim). 
 
Em 1936 participou do filme Cidade-mulher, da Brasil-Vita, interpretando a marchinha de Noel Rosa que deu titulo ao filme. Também em 1936, participou da inauguração da Rádio Nacional, interpretando, com sucesso, Caprichos do destino (Pedro Caetano e Claudionor Cruz). Foi o primeiro cantor a ter um programa exclusivo nessa emissora, com o qual obteve enorme popularidade. De 1936 são suas gravações de Chora, cavaquinho (Dunga), Orgia (Valdemar Costa e Valdomiro Braga), Dama do cabaré (Noel Rosa), entre outras. Em 1937 foi a São Paulo SP pela primeira vez e apresentou-se na sacada do Teatro Colombo, no bairro paulista do Brás, onde se reuniram 10 mil pessoas para ouvi-lo. Foi nessa ocasião que o locutor Oduvaldo Cozzi lhe atribuiu o cognome de 0 Cantor das Multidões. Nesse mesmo ano, gravou na Victor um de seus grandes sucessos, Lábios que beijei (J. Cascata e Leonel Azevedo). Foi o primeiro cantor a interpretar Carinhoso (Pixinguinha, com letra que João de Barro colocou para ele gravar). Também em 1937 lançou a valsa Rosa (Pixinguinha), Boêmio (Ataulfo Alves e J. Pereira), Juramento falso (J. Cascata e Leonel Aze- vedo), o samba Rainha da beleza (Ataulfo Alves e Jorge Faraj), o fox A ultima canção (Guilherme A. Pereira), Alegria (Assis Valente e Durval Maia). Em 1938 participou do filme Banana da terra, dirigido por J. Rui, interpretando a marchinha A jardineira (Benedito Lacerda e Humberto Porto), que foi grande sucesso no Carnaval de 1939. 

 
Para o Carnaval de 1938 lançou Abre a janela (Arlindo Marques Júnior e Roberto Roberti). Entre outras, ainda em 1938, gravou Não beba mais (Roberto Martins e Bide), o samba Meu romance (J. Cascata), a valsa Musa (Antônio Caldas e Celso de Figueiredo), o samba Eu sinto uma vontade de chorar (Dunga), Pagina de dor (Índio e Pixinguinha), o samba Agora é tarde (Sinval Silva) e o fox-canção Nada além (Custodio Mesquita e Mário Lago), que obteve grande êxito. Quatro lançamentos seus receberam prêmios em 1939: A jardineira, Meu consolo é você (Nássara e Roberto Martins), História antiga (Nássara e J. Cascata) e o samba O homem sem mulher não vale nada (Arlindo Marques Júnior e Roberto Roberti). Do mesmo ano são a valsa Número um (Benedito Lacerda e Mário Lago) e o tango Por ti eu me rasgo todo (versão de Osvaldo Santiago). No Carnaval de 1940, lançou a marcha-rancho Mal-me-quer (Newton Teixeira e Cristóvão de Alencar), e gravou, na Victor, inúmeras canções, entre as quais Perdoar é para Deus (Ari Frazão e Sebastião de Figueiredo), Coqueiro velho (Fernandinho e José Marcílio), a marcha Carioca (Arlindo Marques Júnior e Roberto Roberti), o samba A primeira vez (Bide e Marçal), Desilusão (J. Cascata e Leonel Azevedo) e o fox Nana (Custódio Mesquita e Geysa Bôscoli). 
 
Em 1941 gravou Sinhá Maria (Rene Bittencourt), Lagrimas de homem (J. Cascata), A voz do povo (Francisco Malfitano e Frazão), e, em 1942, Rosinha (Heber de Bôscoli e Mário Martins), e também gravou, para ser lançado no Carnaval, Lero-lero (Benedito Lacerda e Roberto Roberti). Nesse ano gravou ainda Aos pés da cruz (Marino Pinto e Zé da Zilda), Mágoas de caboclo (J. Cascata e Leonel Azevedo) e Quero dizer-te adeus (Ary Barroso), e foi a Fortaleza CE, onde participou da inauguração das ondas curtas da Ceará Rádio-Clube. Em 1943 transferiu-se para a Odeon, onde lançou Podes mentir (Georges Moran e Aldo Cabral), a valsa Olhos magos (Dante Santoro) e o samba Noutros tempos... era eu (Ataulfo Alves). 

Em 1944, afastou-se dos palcos, continuando a fazer programas de rádio no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Belo Horizonte MG. Nesse ano, entre outras, gravou o samba Louco (Wilson Batista e Henrique de Almeida), Há sempre alguém (Custódio Mesquita) e o samba Atire a primeira pedra (Mário Lago e Ataulfo Alves), que fez sucesso estrondoso no Carnaval. Em 1945, ainda na Odeon, gravou o hino Canção do trabalhador brasileiro (Abdon Lira e Léia Lira). No ano seguinte, participou do filme da Atlântida Segura essa mulher, dirigido por Watson Macedo, interpretando a marcha Seja lá o que Deus quiser (J. Cascata e Leonel Azevedo). Também nesse ano, realizou varias gravações na Odeon, entre as quais as das músicas Um pracinha na Itália (Pedro Caetano e Claudionor Cruz) e Só uma louca não vê (Lauro Maia e Humberto Teixeira). Ainda em 1946 deixou a Rádio Nacional. 
 
Em 1947, ano de seu casamento, lançou pela Odeon, entre outras gravações, a marcha Argentina (Newton Teixeira e Wilson Batista), a marcha Mulher-sensação (José Batista e Irani Ribeiro), Abigail (Wilson Batista e Orestes Barbosa) e Saudade (Dorival Caymmi). Em 1948 e 1949, gravou, na Odeon, a valsa Maldito amor(Georges Moran e Cristóvão de Alencar), Flor-mulher (Alfredo Ribeiro e Paulo Barbosa), Recordação... saudade (Dorival Caymmi), o bolero Pecadora (versão de Geber Moreira), o samba A que ponto chegaste (J. Cascata e Leonel Azevedo).
 
Em 1951 transferiu-se para a Copacabana, gravadora em que permaneceu ate 1955. Em 1951 gravou, entre outras, a marcha Não me importa que a tábua rache (Lis Monteiro e J. Piedade), o fox Sempre te amei (Maugeri Sobrinho e Maugeri Neto) e Tenho ciúme (Rene Bittencourt). Em 1953, um concurso da Revista do Rádio o elegeu Príncipe do Disco. Nesse mesmo ano, lançou Aquela mascarada (Ciro Monteiro e Dias Cruz), Exaltação à cor (Ataulfo Alves), Risque (Ary Barroso) e Escravo do amor (J. Cascata, Leonel Azevedo e Lilian Fernandes).
 
Em 1954 conquistou o titulo de Rei do Rádio. Nessa época, fazia o programa Doze Badaladas, levado ao ar ao meio-dia, com grande audiência. Em 1955 retornou a Odeon, na qual permaneceu ate 1959. Obteve sucesso no Carnaval de 1958 com Eu chorarei amanhã (Raul Sampaio e Ivo Santos). Reconquistou definitivamente a popularidade com o lançamento pela Victor do LP Carinhoso, revivendo todos os antigos sucessos. 

Gravou, ainda em 1959, o LP Última estrofe. Em 1960, novamente na RCA Victor, lançou o LP Por ti e, no ano seguinte, o LP Quando a saudade apertar. Em 1962 gravou o LP Sempre sucesso. Incluindo músicas de Taiguara, Antônio Carlos e Jocafi, Edu Lobo, Torquato Neto e Gilberto Gil, em 1975 lançou pela RCA Victor o LP Hoje, completando 40 anos de carreira artística. Em 1995 a BMG lançou caixa com três CDs, Orlando Silva, o Cantor das Multidões, com gravações originais de 1935 a 1942.
Faleceu no Rio de Janeiro em 07 de Agosto de 1978.
Biografia: Enciclopédia da Música Brasileira
Art Editora e PubliFolha

SECULT LAMENTA MORTE DO EDUCADOR EDGAR LINHARES

A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará manifesta profundo pesar pelo falecimento do professor, gestor e pesquisador Edgar Linhares, registrado neste sábado, 28/3. Sua despedida, aos 84 anos, é motivo de tristeza e homenagem por todos aqueles que acreditam na educação como caminho para a emancipação humana, a ampliação de horizontes, a afirmação de direitos, a efetiva conquista da cidadania e a construção de uma sociedade mais justa.

O campo da cultura, indissociável do setor educacional, presta reverência a Edgar Linhares, pela vasta contribuição ao Ceará e ao Brasil, como professor com mais de seis décadas de magistério, como docente da Universidade Federal do Ceará, integrante da equipe do Ministério da Educação e como presidente do Conselho Estadual de Educação do Ceará. Instâncias de atuação em que, além da competência e da determinação em sempre fazer mais pela qualidade e pelo acesso à educação pública, sempre cativou e motivou a todos, como um exemplo de compromisso com a educação.

A Secult se solidariza neste momento com os familiares de Edgar Linhares, em particular com o presidente do Instituto Dragão do Mar, jornalista Paulo Linhares, e com todos os amigos, colegas professores e alunos de Edgar Linhares, cujo legado seguirá inspirando novos debates e ações em prol da das políticas públicas de educação no Ceará e no Brasil.

Guilherme Sampaio
Secretário da Cultura do Estado do Ceará

FESTA DE LANÇAMENTO DO FEDERAL MUSIC 2015

O maior festival de música eletrônica do centro-oeste do Brasil apresenta sua festa de lançamento à altura do grande festival que está sendo preparado para a edição comemorativa de 5 anos!

A festa de Lançamento do Federal Music traz um dos artistas internacionais em maior ascensão no cenário mundial, com a vertente que está ditando as novas tendências da House Music na atualidade!

DON DIABLO

Sejam bem-vindos ao novo, ao moderno, ao contemporâneo... Sejam bem-vindos ao Preview do Federal Music!

FESTA DE LANÇAMENTO DO FEDERAL MUSIC 2015
25 - ABRIL - 2015
SÁBADO - 22h

CENTRO COMUNITÁRIO ATHOS BULCÃO
Setor de Clubes Norte
www.facebook.com/federalmusic.df

ATRAÇÕES:

DON DIABLO (Holanda)

Residentes Federal Music
Marcelo CIC
Raul Mendes
Raff

E ainda:
Paniek
Dabox
Doozie
Felipe Souza

Estrutura com:

LOUNGES FEDERAL MUSIC
CAMAROTE
PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO

INGRESSOS à venda a partir de 02/03
1º Lote
Feminino: R$60
Masculino: R$90

PONTOS DE VENDA:

BRASÍLIA
• Central de Ingressos
- Brasília Shopping

• Free Corner
- Terraço Shopping
- 304 Sul
- Brasília Shopping
- Gilberto Salomão
- Conjunto Nacional

• Clube Coat Fitness
- Setor de Clubes Sul

• Casa do Ingresso - Ao lado da Casa do Cowboy
- Taguatinga Norte


GOIÂNIA
• Tribo do Açaí
– Rua 36, 366 - Setor Marista

Vendas On Line: www.diversaobrasil.com.br

INFORMAÇÕES:
Telefone + Whats App
(61) 8288.0650

segunda-feira, 30 de março de 2015

CANTOR DA BANDA TR3VO É MORTO ENQUANTO TIRAVA FOTO COM FÃ

Cantor foi morto após apresentação em bar (Foto: Reprodução / Facebook)

O vocalista da banda Tr3vo foi assassinado na madrugada desta segunda-feira (30) em Santos, no litoral de São Paulo. Dan Nunes, de 25 anos, estava tirando foto com uma fã após o show, quando um homem atirou em suas costas, segundo o pai do músico.

Sobre o cantor e a banda:

https://pt-br.facebook.com/bandatrevo?hc_location=timeline

ink361.com/app/users/ig-1041496610/tr3vo/photos

www.instagramkusu.com/tr3vo  

CAUBY PEIXOTO ESTÁ DE VOLTA

Cauby Peixoto passou um mês internado por conta da diabetes e ontem foi ao ar uma entrevista sua para o Fantástico, da Globo.

O cantor de 84 anos está bem, lança novo CD em abril e será tema de documentário.

Ela abriu o coração e disse que nasceu para cantar.

Viva Cauby!!!

ALGUMA POESIA

O site traz mais de 40 artigos sobre Drummond e mais de 200 revistas com o melhor e mais instigante da poesia brasileira, latino-americana e mundial.

www.algumapoesia.com.br

MORRE JORNALISTA BEATRIZ THIELMANN

Beatriz Thielmann, jornalista da TV Globo, morreu na tarde de domingo (29), aos 63 anos, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

 Com mais de trinta anos de carreira na televisão, Beatriz participou das principais coberturas jornalísticas da Globo. Ela acompanhou de perto a promulgação da Assembleia Nacional Constituinte, em 1988, um passo importante para a redemocratização, além da eleição e morte de Tancredo Neves e eventos espalhados pelo mundo.

LINK: SOLO DO CHORO TIRA-TEIMA NO YOUTUBE

Link YouTube- "Tira-Teima"-Choro-Autor e Solo Violão-"Francisco Soares de Souza".
http://youtu.be/bLUrsULzQA8

 solo de violão doChoro -Tira-Teima”,  interpretado pelo autor “Francisco Soares de Souza”, gravado no LP- “Um Recital no Clube do Violão”- Gravadora Philips- 1961-RJ, pela Violonísta carioca “Maria do Ceu” no CD “Choros do Ceará” e com 10 partituras pulicadas no Álbum “Dez Serestas Brasileiras- Pour Guitare-Collection Delia Estrada-Editions Henry Lemoine, distribuido na Europa, USA, Japão e Ásia.Esta gravação foi editada no “Youtube”.

EVENTO MUSIQÉ EM LONDRINA

CTRL
Sábado, 11 de abril às 23:00
MUSIQÈ em Londrina

LUIZ ROBERTO ALVES E JURANDIR MORAES EXPÕEM NO ESPAÇO CEDDO

Os artistas plásticos Luiz Roberto Alves e Jurandir Moraes abrem hoje a exposição A arte em parceria, no Espaço Cultural Ceddo (R. Pernambuco, 725).

Os quadros ficam expostos até 11 de abril, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, e aos sábados, das 8h às 13h. A entrada é gratuita.

UEL: LABORATÓRIO DE LÍNGUAS RECEBE INSCRIÇÕES PARA CURSO DE IDIOMAS

A partir de hoje e até a próxima quinta-feira, o Laboratório de Línguas da Universidade Estadual de Londrina (UEL) recebe as inscrições de alunos para os cursos de idiomas. As aulas começam em 10 de abril e vão até 31 de julho.

Os cursos ofertados são os de inglês, espanhol, francês, italiano, alemão, japonês, mandarim e português para estrangeiros. Para crianças, há apenas turmas de inglês e de espanhol.

O investimento é único para o semestre: R$ 390 (comunidade externa da UEL), R$ 300 (comunidade interna) e R$ 195 (turmas infantis). O material didático não está incluso.

domingo, 29 de março de 2015

NICANOR PARRA: OS 100 ANOS DO POETA CHILENO

Nicanor Parra
Nicanor Parra


No dia 5 de setembro passado o poeta chileno Nicanor Parra completou 100 anos. Sim, um século. Dez redondos decênios, marca admirável. Nascido na província de Ñuble, região central do Chile, Nicanor Segundo Parra Sandoval é matemático, físico e professor.

O pai era professor primário e músico e a mãe, tecedeira e costureira camponesa. Nicanor, o primogênito, tinha mais cinco irmãos e dois meios-irmãos, entre os quais a cantora, compositora e artista plástica Violeta Parra (1917-1967), autora de clássicos da música popular chilena como “Volver a los 17” e “Gracias a la Vida”, canções que fizeram grande sucesso nos anos 70 na voz da cantora argentina Mercedes Sosa (1935-2009).

Entre os irmãos de Nicanor, vários, além de Violeta, abraçaram a carreira artística, especialmente na música. De todos, somente ele seguiu carreira universitária. Estudou matemática e física na Universidade do Chile, onde depois tornou-se professor. No exterior, estudou mecânica avançada na Universidade Brown, nos Estados Unidos, e cosmologia em Oxford, Inglaterra. Tudo isso até 1951, quando o poeta retornou ao Chile.
•o•

A ANTIPOESIA

Nicanor Parra já escrevia poesia desde os anos 30 e, após ter vivido nos EUA e na Europa, firmou as concepções do que viria a chamar de antipoesia. Consolidou também sua decidida oposição estética à poesia de seu compatriota Pablo Neruda (1904-1973), considerado tradicional.

O que vem a ser a antipoesia? Uma poesia sem empostação, baseada em linguagem coloquial, com elementos críticos que questionam tudo, por meio de ironia, irreverência e nonsense. Em certo sentido, os postulados da antipoesia lembram aspectos da plataforma defendida no Brasil pelos modernistas de 1922. "Na antipoesia se busca a poesia, não a eloquência", diz Parra num de seus poemas.

O marco inicial dos poemas de Parra com essas características é dado em seu primeiro livro, Poemas e Antipoemas, de 1954. Daí em diante, com uma obra de reúne dezenas de títulos, o poeta desenvolveu novas experimentações, como poemas visuais, mas sempre mantendo a ideia central da antipoesia.

Ao desenvolver seus antipoemas, Parra exibe uma postura absolutamente iconoclástica, que não deixa de pé nenhum conceito estabelecido. Cutuca com vara curta desde os deuses do Olimpo até os dogmas da igreja católica. Distribui críticas e piadas tanto à esquerda como à direita.

No poema chamado “Declaración de Principios”, o narrador, depois de se proclamar sucessivamente católico, marxista, capitalista etc. e até fanático total, termina: “a palavra Deus é uma interjeição / dá no mesmo que exista ou que não exista”. Esse poema (não transcrito aqui) está no livro Hojas de Parra (Folhas de Parreira, ou Folhas de Parra, o autor), de 1985. Outro exemplo, este do livro Poemas Políticos: “Não sou direitista nem esquerdista / simplesmente rompo com tudo”. 


Fonte: www.algumapoesia.com.br 

O HOMEM IMAGINÁRIO, POEMA DE NICANOR PARRA

O HOMEM IMAGINÁRIO

O homem imaginário
vive numa mansão imaginária
rodeada de árvores imaginárias
à margem de um rio imaginário

Dos muros que são imaginários
pendem antigos quadros imaginários
irreparáveis rachaduras imaginárias
que representam feitos imaginários
ocorridos em mundos imaginários
em lugares e tempos imaginários

Todas as tardes tardes imaginárias
sobe as escadas imaginárias
e se debruça na varanda imaginária
olhando a paisagem imaginária
que consiste num vale imaginário
circundado de colinas imaginárias

Sombras imaginárias
vêm pelo caminho imaginário
entoando canções imaginárias
à morte do sol imaginário

E nas noites de lua imaginária
sonha com a mulher imaginária
que o brindou com amor imaginário
volta a sentir essa mesma dor
esse mesmo prazer imaginário
e volta a palpitar
o coração do homem imaginário

VALDIR RODRIGUES ESTRÉIA PEÇAS COM SUCESSO

O poeta, dramaturgo, diretor e professor Valdir Rodrigues estreou com sucesso 2 peças de temática juvenil na Praça CEU nos dias 27 e 28 de março.

O público superou a lotação do teatro da Praça CEU e os atores e o diretor e autor dos textos foram muito aplaudidos.

Valdir Rodrigues realiza um trabalho interessante e que integra dramaturgia dirigida e espontânea.




CALENDÁRIO AFRO: DIA INTERNACIONAL DE LUTA CONTRA A DISCRIMINAÇÃO RACIAL

Antes de fechar o mês de março, o blog traz um relato do que é o importante dia internacional de luta contra a discriminação racial.

Criado pela ONU, o Dia Internacional contra a Discriminação Racial é uma referência ao Massacre de Sharpeville.

O acontecimento foi em 1960, quando 20.000 pessoas faziam uma manifestação contra a Lei do Passe, que obrigava os cidadãos negros a ter um cartão com os locaos específicos onde sua circulação era permitida. Para acabar com o ato, a polícia do regime de apartheid abriu fogo na população, resultando em 69 mortos e 186 feridos.

O racismo passou a ser considerado crime a partir de 1988, quando a Constituição Federal definiu que a prática poderia até sujeitar o culpado com pena de reclusão. Até mesmo o racismo praticado na internet, é visto como crime atualmente, o qual a pessoa pode ter que pagar multa e pegar até 5 anos de prisão.

O Dia Internacional contra a Discriminação Racial acontece em 21 de março. 

FORRÓ NA CASA DE CULTURA DA VILA BRASIL

Hoje é dia de forró na Casa de Cultura da Vila Brasil (R. Uruguai, 1656), a partir das 18h.

O Forró do aluguel, que será realizado mensalmente, vai ajudar na manutenção do espaço.

A entrada custa R$ 5.

JORNAL VESTIBULANDO DESTACA O BATUQUE NA CAIXA

Batuque na Caixa completa 15 anos

Link: http://www.jornalvestibulando.com.br/index.php/destaques/1944-batuque-na-caixa-completa-15-anos.html


Foto: Divulgação
O projeto nasceu como forma de democratizar a cultura para crianças, adolescentes e jovens da periferia de Londrina através de oficinas gratuitas nas áreas de música (cordas, flauta e percussão; canto e composição); teatro e literatura.
Desde o início, atendeu 5.632 alunos em Londrina e também fez parcerias com outras cidades do Paraná: (Maringá e Rolândia/2002); (Prado Ferreira/2005) (e Cambé, desde 2010).
O batuque na caixa já se apresentou para mais de 300 mil pessoas em shows e apresentações em cidades do Paraná São Paulo e mais 15 capitais brasileiras. Além disso, o grupo de música já esteve em Córdoba (Argentina) e o de teatro em Portugal.
Alcione, Caetano Veloso, Hermeto Paschoal, Palavra Cantada, Naná Vasconcelos, Olodum e banda Espíritos Zombeteiros são artistas com os quais o batuque na caixa já dividiu o palco.
Para comemorar os 15 anos, o batuque na caixa vai contar sua trajetória em livro a ser lançado em maio; está realizando oficinas de música e literatura em Londrina e Cambé e promovendo a divulgação do trabalho com cartazes especiais e exposições de fotos.
O batuque na caixa conquistou diversos prêmios nacionais por sua abrangência social e cultural: Prêmio Itaú Unicef 2011 e 2013; Prêmio Nacional de Educação Fiscal 2014; Menção Honrosa no II Prêmio Londrina Cidadania e o Prêmio Leitura para todos, do Minc. Desde o início, o projeto incentiva a leitura e promove a cidadania entre seus alunos.
Em 2015, o batuque na caixa tem patrocínio do Ministério da Cultura e apoios da Fundação Itaú Social, CESE (Coordenadoria Ecumênica de Serviço) e Rock in Rio (Projeto por um mundo melhor). A realização do projeto é do Instituto Cultural Arte Brasil.
Saiba mais sobre o Batuque na Caixa: www.youtube.com/watch?v=i1S6bfgEM8I  (clipe do batuque na caixa) 
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

VETTEL,HAMILTON E ROSBERG VENCEM O GP DA MALÁSIA

Sebastian Vettel voltou este domingo às vitórias no Grande Prêmio da Malásia, o 1.º triunfo ao volante da Ferrari, escuderia que volta a subir ao lugar mais alto do pódio, quase dois anos depois.

 Lewis Hamilton (Mercedes) foi 2.º, enquanto Nico Rosberg (Mercedes) subiu ao terceiro lugar do pódio.

Felipe Massa foi o sexto e o outro brasileiro Felipe Nasr foi 12º classificado.

Hamilton é líder com 43 pontos, seguido de Vettel (40) e Rosberg (33).

sábado, 28 de março de 2015

HAMILTON É POLE NA MALÁSIA

O britânico Lewis Hamilton obteve sua segunda pole position do ano em duas etapas da Fórmula 1 . Neste sábado, ele garantiu a primeira colocação do grid de largada para o GP da Malásia ao anotar o tempo de 1min49s834 na última fase do treino classificatório, disputado com pista molhada.


 Foto: Olivia Harris / Reuters
Hamilton começa a temporada dominante
Foto: Olivia Harris / Reuters

Pos Pilotos Equipes Tempo
Lewis Hamilton
Mercedes 1min49s834 (Q3)
Sebastian Vettel
Ferrari 1min49s908 (Q3)
Nico Rosberg
Mercedes 1min50s299 (Q3)
Daniel Ricciardo
Red Bull 1min51s541 (Q3)
Daniil Kvyat
Red Bull 1min51s951 (Q3)
Max Verstappen
Toro Rosso 1min51s981 (Q3)
Felipe Massa
Williams 1min52s473 (Q3)
Romain Grosjean
Lotus 1min52s981 (Q3)
Valtteri Bottas
Williams 1min53s179 (Q3)
10º
Marcus Ericsson
Sauber 1min53s261 (Q3)
11º
Kimi Räikkönen
Ferrari 1min42s173 (Q2)
12º
Pastor Maldonado
Lotus 1min42s197 (Q2)
13º
Nico Hulkenberg
Force India 1min43s022 (Q2)
14º
Sergio Pérez
Force India 1min43s468 (Q2)
15º
Carlos Sainz Jr
Toro Rosso 1min43s700 (Q2)
16º
Felipe Nasr
Sauber 1min41s308 (Q1)
17º
Jenson Button
McLaren 1min41s635 (Q1)
18º
Fernando Alonso
McLaren 1min41s745 (Q1)
19º
Roberto Merhi
Manor 1min46s677 (Q1)
20º
Will Stevens
Manor sem tempo

sexta-feira, 27 de março de 2015

QUEM É O ESCRITOR EVALDO CABRAL DE MELLO

Evaldo Cabral de Mello nasceu no Recife em 1936 e atualmente mora no Rio de Janeiro. Estudou Filosofia da História em Madri e Londres.

Em 1960, ingressou no Instituto Rio Branco e dois anos depois iniciou a carreira diplomática. Serviu nas embaixadas do Brasil em Washington, Madri, Paris, Lima e Barbados, e também nas missões do Brasil em Nova York e Genebra, e nos consulados gerais do Brasil em Lisboa e Marselha.

Um dos mais destacados historiadores brasileiros, Evaldo Cabral de Mello é especialista em História regional e no período de domínio holandês em Pernambuco no século XVII, assunto sobre o qual escreveu muitos de seus livros, como Olinda restaurada (1975), sua primeira obra, Rubro veio (1986), sobre o imaginário da guerra entre Portugal e Holanda, e O negócio do Brasil (1998), sobre os aspectos econômicos e diplomáticos do conflito entre portugueses e holandeses. Sobre a Guerra dos Mascates e a rivalidade entre brasileiros e portugueses em seu Estado natal publicou A fronda dos mazombos (1995).

Escreveu, também, O norte agrário e o Império (1984), O nome e o sangue (1989), A ferida de Narciso (2001) e Nassau: governador do Brasil Holandês (2006), este para a Coleção Perfis Brasileiros, da Companhia das Letras.

É organizador do volume Essencial Joaquim Nabuco, da Penguin-Companhia das Letras.

EVALDO CABRAL DE MELO TOMA POSSE NA ABL



O escritor pernambucano Evaldo Cabral de Mello tomou posse na noite desta sexta-feira (27), na Academia Brasileira de Letras (ABL). Ele tem 79 anos, é diplomata e historiador. Evaldo foi eleito pra cadeira 34, que pertenceu ao escritor baiano João Ubaldo Ribeiro, morto em julho do ano passado.

“Diz-se de um autor de sucesso que tem uma grande obra. No caso de Evaldo Cabral de Mello, é uma grande obra que tem um autor. Um autor que se apaga atrás de uma grande modéstia. Mas que tinha que ser revelado. E foi. A Academia é o lugar certo para abrigá-lo e se sente honrada com isso”, afirmou o Presidente da ABL, Acadêmico  Geraldo Holanda Cavalcanti.

www.academia.org.br 

NOBEL DE LITERATURA: SUECO TOMAS TRANSTRÖMER MORRE AOS 83 ANOS

O poeta sueco Tomas Tranströmer,  (Foto: AFP) 

O poeta sueco Tomas Tranströmer, ganhador do Nobel de Literatura em 2011, morreu nesta quinta-feira (26), aos 83 anos, informa a editora sueca Bonnier. Ainda não há informações sobre a causa da morte.

Nascido em 1931, Tranströmer cresceu sozinho com sua mãe, uma professora, depois que ela se divorciou de seu pai, um jornalista. Ele começou a escrever poemas ainda na escola e teve seu primeiro livro publicado aos 23 anos.

Transtörmer se formou em psicologia na Universidade de Estocolmo e, ao longo de sua carreira, se dividiu entre a profissão de terapeuta e a de escritor. Trabalhou como psicólogo em prisões, centros de detenção juvenil e com viciados. Ele vivia com sua esposa, Monica, em Estocolmo.

Um dos poetas mais importantes da Suécia, Tanströmer sua primeira obra, "17 dikter" ("17 poemas"), em 1954.

Sua obra foi traduzida para mais de 50 idiomas. Entre os títulos mais importantes, estão "Windows and stones", de 1966, que trata de temas de suas muitas viagens, e "Baltics", de 1974.

Antes do Nobel, Tanströmer já havia sido premiado com o Aftonbladets Literary Prize for Literature, o Oevralids Prize, entre outros.

O poeta e músico Aldo Moraes tem um poema inédito inspirado em Transtromer.

ROMANCE DE ALDO MORAES NAS MAIORES LIVRARIAS DO MUNDO

Cda
CDA
Apple-logo
iBook Store
Google-play
Google Play
Amazon
Amazon Brasil
Saraiva-logo
Saraiva
Ibo-logo
Iba

 

https://www.clubedeautores.com.br/book/183804--Casassanta#.VRW5485qHcs

CONCURSO POESIA EM MOVIMENTO




1. PARTICIPANTES: Este é um projeto aberto a todos os escritores, de ambos os sexos, amadores ou profissionais que queiram registrar seu nome nesse painel histórico e ter um poema de sua autoria publicados em livro e concorrer a premiação em troféu, além de ter seu trabalho poético transformado em coreografia na noite de lançamento e pr
emiação – primeiro lugar.

A temática é variada para dar diversidade à obra, porém não serão aceitos trabalhos que contenham palavras ofensivas e ou ideologias segregacionistas ou discriminatórias.

2. PARA ONDE ENVIAR SUAS OBRAS: Os trabalhos deverão ser enviados em arquivo anexo para o e-mail: dellicatta@terra.com.br discriminando no campo assunto: POESIA EM MOVIMENTO.

3. DA PUBLICAÇÃO: O autor poderá participar com quantas páginas desejar (múltiplos de 2) e receberá 4 (quatro) exemplares da obra.


4. QUADRO: TAXA DE PUBLICAÇÃO

02 páginas - R$ 150,00 - 4 exemplares
04 páginas - R$ 300,00 - 8 exemplares
06 páginas - R$ 450,00 - 12 exemplares

Parágrafo único - Não haverá cessão de direitos autorais, ou seja, os trabalhos continuarão pertencendo a seus autores.

Cabe ao autor ou responsável legal responder sobre plágio, publicação não autorizada, calúnia, difamação ou não autoria da obra, isentando a Editora Delicatta de crime de Direito Autoral.

5. PAGAMENTO:O valor referente à taxa de publicação deverá ser efetuado em:

BRADESCO
Ag. 3349-9
C-C- 5690-1
CNPJ - 12.408.791/0001-72
A favor de Luiza Beatriz Moreira da Paixão Editora

IMPORTANTE: Ao efetuar o pagamento, enviar os dados comprobatórios via e-mail para o e-mail: dellicatta@terra.com.br


6. LANÇAMENTO

O Lançamento da obra, confraternização dos autores, premiação, sarau e espetáculo dar-se-á em 04/06 no Teatro Ruth Escobar em São Paulo. O espetáculo terá ingresso (já no valor de meia entrada) de R$ 10,00.


7. DOS EXEMPLARES: Os exemplares serão enviados via Correio aos autores que não puderem comparecer ao lançamento com despesas de postagem à custa do autor, e entregues aos autores que estiverem no evento.

Parágrafo único- Os livros receberão o Registro da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, ISBN e ficha catalográfica.
 
IMPORTANTE: Após um mês a contar da data de lançamento, o autor que não requerer os seus exemplares perderá o direito sobre eles que serão destinados à bibliotecas e instituições de ensino

QUARTETO SAMBALAIO TOCA NO RESTAURANTE DONA MENINA

O quarteto Sambalaio, formado por Natália Garcia (voz), Tiago Pantoja (percussão), Alessandro Franco (violão) e Gilberto Cerantola, se apresenta amanhã no restaurante Dona Menina (R. Guararapes, 177), a partir das 12h, com couvert a R$ 6.

O repertório inclui Caetano Veloso, Tom Jobim, Maria Rita, Baden Powell, Cássia Eller, Djavan, entre outros. Informações pelo (43) 3029-0409.

TEATRO EM CAMBÉ: PRAÇA CEU RECEBE PEÇAS DE VALDIR RODRIGUES


EXPO TAPUMES, EM LONDRINA

Expo "TAPUMES"
Quarta, 1 de abril às 19:00 a Terça, 30 de junho às 19:00
Sesc Cadeião Cultural em Londrina


LINKS PARA CANÇÕES SOB POEMAS DE LÊDO IVO

Gostaria de divulgar três canções sobre poemas do Lêdo Ivo que compus para o Duo Eberhardt Llerena.  

Muitíssimo obrigado pela força.

Abraço afetuoso,

Velasco.

https://www.youtube.com/watch?v=47vflT0U5i8&feature=youtu.be

quinta-feira, 26 de março de 2015

ESCRITOR HÉLIO PÓLVORA MORRE AOS 86 ANOS EM SALVADOR

Morreu na madrugada desta quinta-feira (26) o escritor, jornalista e crítico literário Hélio Pólvora. A informação foi confirmada pelo presidente da Academia de Letras da Bahia, Aramis Ribeiro Costa.

Para o poeta e integrante da Academia de Letras da Bahia, Luís Antônio Cajazeira Ramos, Hélio Pólvora é um dos contistas mais importantes da atualidade.
"A Bahia perde a maior expressão das letras da atualidade. Sem dúvida, o maior contista, além de ser destacado como crítico, cronista, jornalista, editor e com uma longa militância na imprensa nacional. É o maior contista brasileiro da atualidade”, diz Cajazeira Ramos.

Hélio Pólvora de Almeida nasceu em 1928, em Itabuna, na Bahia. Em 1953, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde morou por 30 anos. Nesse período, o escritor iniciou a carreira literária e atividade jornalística, que prosseguiram, depois de 1984, na Bahia (nas cidades de Itabuna, Ilhéus e Salvador).

A estreia literária ocorreu com a publicação Os Galos da Aurora (1958, reeditado em 2002, com texto definitivo). Mais de 25 títulos de obras de ficção e crítica literária, além de participação em dezenas de antologias nacionais e estrangeiras, foram publicados. Hélio Pólvora também possui contos traduzidos em espanhol, inglês, francês, italiano, alemão e holandês.

O escritor passou a morar em Salvador no ano de 1990. Eleito para a Cadeira 29 da Academia de Letras da Bahia, fez parte também da Academia de Letras do Brasil (sede em Brasília, DF), onde ocupa a cadeira 13, que tem como patrono Graciliano Ramos. Pertenceu ainda à Academia de Letras de Ilhéus. Hélio Pólvora atuava como cronista do jornal A Tarde há mais de oito anos.

ESCOLA DE CIRCO DE LONDRINA PROMOVE SHOWS GRATUITOS


videoclipe erudito brasileiro selecionado para festival na California

O compositor erudito carioca Sergio Roberto de Oliveira, que no ano passado realizou um feito inédito ao lançar o videoclipe da sua música "Ao Mar", acaba de ser surpreendido com a notícia de sua seleção no Universe Multicultural Film, na Califórnia, que acontecerá de 17 a 19 de abril, em Rolling Hills Estates, CA. Com direção e co-produção de Alex Araripe e participações dos gêmeos do Duo Santoro e da atriz e soprano Gabriela Geluda, o video em preto e branco foi todo gravado na Praia da Reserva, com cenas, inclusive, dos irmãos vestindo smoking com seus violoncelos dentro de um pequeno barquinho ao mar. 

E essa dobradinha com os irmãos Santoro ainda vai render muito para este ano. Até junho, Sergio de Oliveira lançará o CD "Pares",  mesclando suas composições com as do americano Mark Hagerty, interpretadas pelo Duo Bretas-Kervorkian e pelos gêmeos do viooloncelo. No fim do ano, o Duo Santoro lançará seu segundo CD, novamente contando com a produção do compositor carioca. Parceria de sucesso!
Dá para assistir a um trecho do videoclipe aqui

BIBLIOTECA PÚBLICA DO PARANÁ CELEBRA DIA DO CIRCO E DO TEATRO

A Seção Infantil da Biblioteca Pública do Paraná promove, no próximo dia 28 de março (sábado), às 10h, evento em comemoração ao Dia Mundial do Circo e do Teatro. Durante toda manhã, haverá palhaços, que vão entreter as crianças com uma série de brincadeiras, como a pintura artística no rosto. A festa também terá comida e música com temática circense.

A Hora do Conto, contação de história que acontece diariamente na BPP, também terá edição especial, sobre o universo circense. Está programada ainda uma oficina de confecção de malabares. A entrada é gratuita. Mais informações na Seção Infantil ou pelo número (41) 3221-4980.

BATUQUE NA CAIXA AGRADECE NRE/LONDRINA

O Instituto Cultural Arte Brasil agradece o Núcleo Regional de Ensino de Londrina/NRE que vai divulgar os cartazes institucionais do batuque na caixa em todas as escolas e colégios Estaduais de Londrina e região.

O cartaz faz alusão ao aniversário do batuque na caixa e divulga o site e email para que os estudantes tenham acesso a informações como datas e locais das oficinas gratuitas de música, teatro e literatura.

HUMOR BRASILEIRO PERDE JORGE LOREDO, O ZÉ BONITINHO

Jorge Loredo (em 400) - 1925-2015 (Foto: Ana Ottoni/Folhapress/Arquivo)
 
O ator Jorge Loredo, o Zé Bonitinho, de 89 anos, morreu na manhã desta quinta-feira (26), segundo informações da GloboNews. Ele estava internado no Hospital São Lucas, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, desde o dia 3 de fevereiro na Unidade de Terapia Intensiva.

 Jorge Loredo nasceu em 7 de maio de 1925 foi criado em  Campo Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. A infância e a juventude foram marcadas por doenças graves para a época: aos 12 anos, com com osteomielite na perna, sofria de dores constantes. Aos 20 anos, com  tuberculose, foi internado num sanatório, situação que acabou por lhe abrir as portas para a carreira. Incentivado pelos médicos, participou de um grupo teatral no hospital e descobriu sua vocação para os palcos.

O personagem “Zé Bonitinho” foi criado por Loredo, inspirado num colega que se achava um grande galã. Loredo costumava imitá-lo nas festas, arrancando gargalhadas. “Zé Bonitinho” estreou na televisão em 1960 no programa “Noites Cariocas”, exibido pela extinta TV Rio, com os primeiros textos roteirizados por Chico Anysio.

Em 2010, ano em que completou 50 anos, “Zé Bonitinho” continuava na TV, no humorístico “A praça é nossa”. O irresistível "Zé Bonitinho" tinha bordões inesquecíveis, que Loredo repetiua com a voz impostada de um conquistador: "Câmera, close; microfone, please", ou "Garotas do meu Brasil varonil: vou dar a vocês um tostão da minha voz!".

VIII CONCURSO DE PROJETOS SOCIAIS VOLKSWAGEN NA COMUNIDADE 2015

Estão abertas até 10 de abril as inscrições para o VIII Concurso de Projetos Sociais Volkswagen na Comunidade 2015.

São 10 prêmios de R$ 40 mil reais aos projetos vencedores, além de um curso de Gestão de Projetos Sociais.

Regulamento, informações e inscrições:
http://www.vwnacomunidade.com.br
Informações: vwnacomunidade@neuronio.com.br

quarta-feira, 25 de março de 2015

AGENDA LONDRINA: TEATRO AGON

Ovo, do Agon Teatro, dias 28 e 29 de março, 9, 10, 11, 12, 16, 17, 18 e 19 de abril, sempre às 20h, na Usina Cultural (Av. Duque de Caxias, 4159). Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia), uma hora antes de cada apresentação.

terça-feira, 24 de março de 2015

ROCK IN RIO DIVULGA AGENDA COMPLETA E PALCO SUNSET FARÁ HOMENAGEM A CÁSSIA ELLER

O Rock in Rio anunciou as atrações do Palco Sunset, o espaço dedicado a parcerias entre artistas e a "shows especiais". O primeiro dia terá uma homenagem a Cássia Eller.

No dia 18 de setembro, além do tributo, estão escalados Lenine + Nação Zumbi + Martin Fondse; Ira! + Rappin Hood + Toni Tornado; e Dônica + Arthur Verocai. A abertura do Rock in Rio tem Queen + Adam Lambert fechando o Palco Mundo.

No dia 19, o Sunset receberá Korn; Ministry; Angra + Dee Snider (do Twisted Sister) + Doro Pesch; e Noturnall + Michael Kiske. Metallica é o principal nome do line-up no Palco Mundo.

No dia 20, as atrações são John Legend, Magic!, Baby do Brasil + convidado, Alice Caymmi + Eumir Deodato. Rod Stewart é o artista mais esperado desta noite.

Deftones, Lamb of God, Project 46 + John Wayne tocam no Sunset no dia 24. Na mesma noite, System of a Down e Queens of the Stone Age se apresentam.

Steve Vai + Camerata Florianópolis; Nightwish + Jukka Nevelaine; e Moonspell + Derrick Green são as atrações do dia 25. No Palco Mundo, Slipknot e Faith no More tocam.

O dia 25 terá André Moraes + André Abujamra + Constantine Maroullis + The Heavy Metal Allstars em tributo aos filmes de Terror.

Na noite de Rihanna, em 26 de setembro, o Sunset terá Sérgio Mendes + Carlinhos Brown; Angélique Kidjo; Erasmo Carlos + Ultraje a Rigor; e Brothers of Brazil.

Al Jarreau + convidado, Aurea + Boss AC e Suricato e Raul Midón são os nomes confirmados para o dia 27. É a noite de Katy Perry e A-ha.

CANTOR E ATOR BRITÂNICO CHRIS HARDMAN MORRE AOS 24 ANOS


O ator e cantor Chris Hardman (Foto: Reprodução/Twitter/CJHardman)

O ator e cantor Chris Hardman, conhecido como Lil' Chris e personalidade da TV britânica, morreu aos 24 anos, informa nesta terça-feira (24) o tabloide local "Daily Mirror".

Chris Hardman ficou famoso aos 15 anos de idade, quando apareceu no reality show "Rock School". No programa, Gene Simmons, do Kiss, escolhia garotos para formar uma banda de rock. Hardman acabou se tornando o líder do grupo.

Mais tarde, já em 2006, ele assinou com a gravadora RCA e lançou seu single de estreia, "Chckin' it out", que chegou ao terceiro lugar na parada do Reino Unido.

O site IMDb lista outras participações de Hardman em programas e atrações de TV, em geral interpretando a si mesmo. Esteve, por exemplo, nas séries "Hider in the house", "T4 on the beach 2008" e "Everybody loves Lil' Chris", todos exibidos em 2008. O crédito mais recente é do ano seguinte, na série "Hole in the wall".

DEBATE SOBRE PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO MINC


VICTOR SANTANA: CONCERTO DE VIOLÃO

Gostaria de convidar a todos para um dos momentos mais importantes da minha carreira. Amanhã, terça-feira, dia 24/03, irei solar o Concerto para Violão
e Orquestra de Heitor Villa-Lobos com a Orquestra Sinfônica do Teatro
Nacional Cláudio Santoro. Será no Centro de Convenções, auditório Planalto,
às 20h com entrada franca.

É um momento muito especial pra mim pois é a realização de vários sonhos:
tocar com uma orquestra, tocar o concerto do meu compositor preferido,
tocar com a orquestra da minha cidade, podendo ter no público amigos e
familiares e tocar em um Teatro tão importante e bonito como o do CC.

Fica o convite e será um prazer imenso vê-los lá.

Abraços,

Victor Santana


61-92896806

http://guitarvictorsantana.com.br/

QUIZOMBA ABRIL, EM LONDRINA

Quizomba Abril
Domingo, 5 de abril às 14:00
Kinoarte em Londrina

POEMA DE HERBERTO HELDER

Sobre um Poema

Um poema cresce inseguramente
na confusão da carne,
sobe ainda sem palavras, só ferocidade e gosto,
talvez como sangue
ou sombra de sangue pelos canais do ser.

Fora existe o mundo. Fora, a esplêndida violência
ou os bagos de uva de onde nascem
as raízes minúsculas do sol.
Fora, os corpos genuínos e inalteráveis
do nosso amor,
os rios, a grande paz exterior das coisas,
as folhas dormindo o silêncio,
as sementes à beira do vento,
- a hora teatral da posse.
E o poema cresce tomando tudo em seu regaço.

E já nenhum poder destrói o poema.
Insustentável, único,
invade as órbitas, a face amorfa das paredes,
a miséria dos minutos,
a força sustida das coisas,
a redonda e livre harmonia do mundo.

- Em baixo o instrumento perplexo ignora
a espinha do mistério.
- E o poema faz-se contra o tempo e a carne.

Herberto Helder