sexta-feira, 29 de outubro de 2010


CARTAS

O Instituto Cultural Arte Brasil recebeu:

Mensageiro de Poesia nº 287 ( CE )

Convite do Instituto Tomie Othake para a exposição " Kurosawa, criando imagens para cinema"

Poeta Lari Franceschetto ( RS )

Aparecida Mariana Barros ( SP ) agradece o Informativo Arte Brasil 18, segundo ela " capa bonita e trabalhos ótimos"

Literatura & Arte 1627, do grande poeta e amigo Humberto del Maestro

Rogério Salgado, voz poderosa da poesia mineira

Fundação Itaú Social e o projeto Ler faz crescer.


NELSON CAVAQUINHO

E ontem, vinte e oito de outubro de dois mil e dez, Nelson Cavaquinho teria feito cem anos ...

Teria feito!

Pois para mim, Nelson, o grande Nelson nasceu há uns trinta, quando me foi apresentado por minha mãe: amante de samba e ópera.

Sua voz, letras e melodias insondáveis, ao que me lembro como fosse hoje, me levaram a um outro universo do samba.

E decorei seu repertório e as harmonias de seus sambas tristes.

A tal da alegria triste, o canto rouco de Cazuza na luz que é negra.

Ouvi que Nelson teria nascido em 1911, mas teve o documento adulterado para entrar nos quadros da polícia do Rio de Janeiro.

Para mim, repito, nasceu há uns 30 anos e eu moleque.

E ali descobri que o samba compõe milhões de universos, só imagináveis na cabeça do poeta ...

Viva Nelson Cavaquinho !

( Aldo Moraes )

sexta-feira, 22 de outubro de 2010


CARTA DE PELÉ





" Agradeço Pelé, pela gentileza de responder minha carta, enviada à ele com um poema que fiz, em homenagem aos 70 anos de idade, que o Rei completa em 23 de outubro de 2010.

Nesta correspondência, Edson Arantes do Nascimento agradece alguns materiais com cds e projetos culturais do Instituto Arte Brasil e de produtores londrinenses que enviamos junto.

Nossa emoção e alegria ao receber a carta de Pelé é tão grande como nossos votos de que seus 70 anos sejam muito comemorados em todo o mundo.

Lenda viva do esporte, Pelé merece as maiores congratulações por sua história, seu exemplo e pela divulgação que sempre fez do Brasil."


( Aldo Moraes )


* Leia o poema em uma postagem anterior.



PELÉ

E uma vez que não o veja
Quando entrega-me teu peito
Na turba acesa de um tempo
Em que o pé é o corpo todo


Em que cala-se ou vibram
O mesmo povo ao tempo
Da habilidade na jogada
Anterior ou no próximo minuto


E outra vez, pode ser que veja
Porque quem sente mais
É resultado do que escrevo :
O sofrido coração ou a mente
Que não pensa ...


E é um tempo que imagino
E nem posso crer que é real
Pois aquele terrível menino
Mais parece dois, ou três, além do normal.


Mas enforca-lhes o tempo
E não sorri o adversário
Dando asas, me conduz, a doce
Voz que embala este canário.


E o tempo se-lhe mostra que é real
Realeza, mais nobreza, é um rei, é imortal !

( Poema de Aldo Moraes, dedicado aos 70 anos de Edson Arantes do Nascimento, o imortal Pelé, comemorados em 23 de outubro de 2010 )

quinta-feira, 21 de outubro de 2010


CONJUNTO RETRATOS EM SÃO CAETANO DO SUL

SÁBADO 23/10 20:00 hs

TEATRO SANTOS DUMONT

DURAÇÃO : 90 MINUTOS




quarta-feira, 20 de outubro de 2010

MOSTRA DE CINEMA UEL

BOLETIM NOTÍCIA/UEL- 13/10/2010

Jeferson De abre Mostra de Cinema em Londrina

O premiado diretor de cinema, Jeferson De, abrirá a Mostra de Cinema “Londrina celebra Zumbi”, no dia 23 de outubro, a partir das 19h30, no Teatro Ouro Verde.

A Mostra terá apresentações de filmes da temática étnico-racial nos dias 3, 10, 17 e 24 de novembro, nas quatro regiões da cidade.

O cineasta fará um debate sobre o filme de estreia, Compasso de espera, do diretor Antunes Filho, de 1973.

O longa-metragem conta a história de Jorge, jovem poeta negro, amante de Ema, diretora de uma agência de publicidade em São Paulo. Numa reunião literária, ele conhece Cristina, branca, de família aristocrática. Nasce uma simpatia entre ambos, e quando voltam a se encontrar são surpreendidos por Ema, que provoca uma discussão e o afastamento de Cristina. Angustiado, Jorge procura sua família, depois de meses de ausência, e é repreendido por abandonar sua origem humilde.


Encontra novamente Cristina e os dois buscam refúgio para seu amor nascente numa praia distante, onde são humilhados, com revolta e desaprovação pela diferença racial, por pescadores locais. Também a diretora da escola de Cristina e sua família fazem pressão sobre a jovem, e ela resolve partir para a Europa. Jorge abandonado e criticado pelos amigos negros sente-se perdido numa sociedade na qual não consegue se inserir, enquanto Ema insiste em procurá-lo.


O paulista Jeferson De é diretor e produtor de vários curta-metragens que discutem o preconceito e a discriminação racial no Brasil. Seu primeiro longa, Broder!, foi exibido no Festival de Berlin e premiado com os Kikitos de melhor filme e melhor diretor, para De e melhor ator para Caio Blat, no Festival de Cinema de Gramado deste ano. Broder é uma produção da Barraco Forte (sua produtora) e da Glaz Enternaiment, e conta ainda com a Columbia e a Globo Filmes.

O trailler do filme será apresentado depois da discussão
O evento compõe o “Londrina Celebra Zumbi”, um conjunto de atividades em comemoração ao 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, considerado feriado municipal pela primeira vez este ano.

A Mostra de Cinema é uma realização do Núcleo de Estudos Afro-Asiáticos (NEAA) da Universidade Estadual de Londrina e conta com o apoio do Laboratório de Cultura e Estudos Afro-Brasileiros (Leafro), Prefeitura Municipal de Londrina, Conselho Municipal de Promoção de Igualdade Racial (CMPIR), Movimento Negro de Londrina e Departamento de Ciências Sociais da UEL.

Mais informações no NEAA, telefone 3371-4599, e-mail neaa@uel.br.
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta páginaem qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,desde que citada a fonte.As Sinopses apresentadas têm como referência as edições digitais dos jornais citados disponíveis no dia.


terça-feira, 19 de outubro de 2010

POEMAS DE COLABORADORES DO INFORMATIVO ARTE BRASIL


HAICAI

“ É noite, que espanto !

Cruza a rua contramão –

Ágil gato branco .

( Auri Antonio Sudati / RS )








CONFISSÃO

Eu escrevo

como quem grita de alegria

libertando-se das correntes da timidez.

Eu escrevo

como um riacho que recebe afluentes e transborda,

transforma-se em rio descendo o penhasco,

em cachoeira.

Derrama-se nas pedras e vales,

invadindo a vida.

Eu escrevo

apressada, aproveitando o romper da aurora,

a claridade do dia,

a tênue luz do ocaso,

temendo a longa noite que não terá amanhecer.

Luciene Freitas

Recife, 04-07-1997







SALVO-CONDUTO


Minha poesia

Não tem hora, não tem dia.

Minha poesia

Não veio para dar bom dia.

Minha poesia está cansada

Não agüenta a subserviência que nasce todo dia.

Minha poesia não tem cara

Olha na cara.

Ari Lins Pedrosa











DEFINIÇÕES


Poeta é mambembe da arte

Escultor de palavras

Pintor de cenário

Viajante da esperança

Olhar de esmeralda

Terapeuta da alma

Coração criança

( Maria Rita Py )

ARTE ETERNA

Enquanto houver um bosque verdejante

Lindas flores em densa profusão

E houver da via – láctea na amplidão

Milhões de sóis de brilho fulgurante

E houver algum humano coração

Da saudade, presença torturante

E houver o mimo, o zelo cativante

De uma mãe trazendo o filho pela mãe

E houver um jovem tendo no seu peito

De ver seu sonho de ouro já despeito

Os espinhos cruéis da dor secreta

A poesia não terá morrido

Nem triste ficará por ter nascido

Alguém com a maldição de ser poeta

( Celso Martins )










“ A única fiel a nós

É a sombra que nos

Acompanha ... “


( Adão Wons )

segunda-feira, 18 de outubro de 2010






" ENQUANTO OS LEÕES

NÃO TIVEREM O SEU HISTORIADOR


AS HISTÓRIAS DE CAÇA SEMPRE


EXALTARÃO O CAÇADOR."


( Provérbio Africano )



RECORDISTA HOMENAGEADO


O goleiro Neneca, ídolo do futebol paulistano e do Londrina, foi homenageado, há alguns dias na Câmara Municipal de Londrina com o Diploma de Reconhecimento Público.

Neneca, de batismo Hélio Miguel, marcou seu nome na história do futebol brasileiro em 1974, quando jogava pelo Náutico e ficou 1.636 minutos ( mais de 18 jogos ) sem tomar gols. Recorde brasileiro e mundial na época. O recorde mundial foi batido, mas Neneca continua até hoje o goleiro brasileiro que mais partidas ficou sem tomar gols.

Nascido em Londrina, em 1947, atuou no Londrina Esporte Clube, América Mineiro, Náutico, Guarani, Operário de Campo Grande e Seleção Brasileira de Máster. Campeão paranaense, pernambucano, brasileiro pelo Guarani e mundial pela Máster.


José Ângelo Gaiarsa


Apesar dos 90 bem vividos anos, me choquei ao saber, no sábado à tarde, da morte do psicanalista José Ângelo Gaiarsa.

Foi um nome fundamental para mim e que me ajudou na conexão das filosofias e idéias anarquistas e de vanguarda com o melhor da literatura do século XX. A literatura porque eu estava descobrindo Joyce, Rosa e os irmãos Campos. E a conexão porque era bem vinda com a fala de Gaiarsa nos livros e na tv.

Realmente foi um sopro de liberdade naqueles tormentosos anos 80 ...

E sempre me lembro e então falo de Gaiarsa para os amigos.

Tive a grata oportunidade de participar de umas 3 ou 4 palestras dele.

Gaiarsa teve a vida que pregou e realmente é um dos raros intelectuais e agitadores do comportamento, que não precisava exemplificar. Bastava dar conhecer, ao interlocutor, sua prazerosa e riquíssima humana vida. E o que pode ser mais forte, que o exemplo vivido ?

Obrigado, por seus conselhos, seus tantos trintas livros e sua humana qualidade de se descobrir e se reinventar todos os dias.


Aldo Moraes ( compositor )
www.tramavirtual.com.br/aldo_moraes


DIA DO PROFESSOR


Ontem, dia 15 de outubro, comemorou-se o dia do professor. A primeira coisa que vem à cabeça é a lembrança das primeiras professoras ...

Me recordo da minha mãe que me ensinou a cantar e a ouvir Nat King Cole, Saint Preux e Ângela Maria.

E me lembro da Dona Bernadete, da tia Marlene e da professora Rose.

Me lembro de cantar o hino nacional, de hastear bandeira, do lanche às 10 da manhã e das brincadeiras no pátio da Escola David Dequech.

Há muitos professores famosos: Fernando Henrique Cardoso, Cristovam Buarque, Helena Kolody ...

Quero lembrar de Cecília Meirelles, que também foi professora.

“ Cecília Meireles é uma das grandes escritoras da
literatura brasileira. Seus poemas encantam os leitores de
todas as idades. Nasceu no dia 7 de novembro de 1901,
na cidade do Rio de Janeiro e seu nome completo era
Cecília Benevides de Carvalho Meireles.
Sua infância foi marcada pela dor e solidão, pois perdeu a
mãe com apenas três anos de idade e o pai não chegou a
conhecer (morreu antes de seu nascimento). Foi criada
pela avó Dona Jacinta. Por volta dos nove anos de idade,
Cecília começou a escrever suas primeiras poesias.
Formou-se professora (cursou a Escola Normal) e com
apenas 18 anos de idade, no ano de 1919, publicou seu
primeiro livro “Espectro” (vários poemas de caráter
simbolista). Embora fosse o auge do Modernismo, a jovem
poetisa foi fortemente influenciada pelo movimento
literário simbolista.

No ano de 1922, Cecília casou-se com o pintor Fernando
Correia Dias. Com ele, a escritora teve três filhas.
Sua formação como professora e interesse pela educação
levou-a a fundar a primeira biblioteca infantil do Rio de
Janeiro no ano de 1934. Escreveu várias obras na área de
literatura infantil como, por exemplo, “O cavalinho
branco”, “Colar de Carolina”, “Sonhos de menina”, “O
menino azul”, entre outros. Estes poemas infantis são marcados pela musicalidade (uma das principais
características de sua poesia).
Cecília faleceu em sua cidade natal no dia 9 de novembro de 1964.
Relação de suas obras:
 Espectro - 1919
 Criança, meu amor - 1923
 Nunca mais... - 1923
 Poema dos Poemas -1923
 Baladas para El-Rei - 1925
 O Espírito Vitorioso - 1935
 Viagem - 1939
 Vaga Música - 1942
 Poetas Novos de Portugal - 1944
 Mar Absoluto - 1945
 Rute e Alberto - 1945
 Rui — Pequena História de uma Grande Vida - 1948
 Retrato Natural - 1949
 Amor em Leonoreta - 1952
 12 Noturnos de Holanda e o Aeronauta - 1952
 Romanceiro da Inconfidência -1953
 Poemas Escritos na Índia - 1953
 Batuque - 1953
 Pequeno Oratório de Santa Clara - 1955
 Pistóia, Cemitério Militar Brasileiro - 1955
 Panorama Folclórico de Açores -1955
 Canções - 1956
 Giroflê, Giroflá - 1956
 Romance de Santa Cecília - 1957
 A Rosa - 1957
 Obra Poética -1958
 Metal Rosicler -1960
 Solombra -1963
 Ou Isto ou Aquilo -1964
 Escolha o Seu Sonho - 1964


Elton John ajuda novos talentos britânicos


A faceta de mecenas de Elton John, conhecido por suas despesas excessivas em roupas e extravagâncias, foi relevada por um meio de imprensa britânico que conta que o cantor gastou R$ 1.7 milhão para apoiar jovens talentos musicais desconhecidos.

Como informou o jornal The Sunday Times, Elton John financiou pessoalmente 42 estudantes que estudam na Real Academia da Música, onde ele mesmo aprendeu música clássica há mais de 50 anos, quando tinha 11 anos.

A maior parte dos alunos apoiados é de famílias humildes e sem condições de estudar na academia sem apoio financeiro. Elton John, de 63 anos, vai além do aporte de recursos.

Ele costuma assistir aos concertos dos estudantes e os estimular pessoalmente.

Entre os protegidos está Allan Clayton, destacado tenor de 29 anos, que se apresentou com a Orquestra Sinfônica de Londres, e o violoncelista Jonathan Deakin, que se apresentou nos recentes Proms da BBC (concertos de verão).

Elton John iniciou os estudos na academia, mas não chegou a concluí-los.

O músico é reconhecido entre o meio artístico por ajudar aos colegas, entre os quais Diana de Gales e Michael Jackson.


JOVENS DE HELIOPOLIS TOCAM NA EUROPA

Da maior favela de São Paulo, Heliópolis, onde vivem 130 mil pessoas, saíram jovens brasileiros para ser ovacionados na Europa.

Os 74 meninos e meninas, de 15 a 27 anos, foram tocar na terra de Beethoven, na Alemanha, em um dos festivais mais prestigiados do continente.


”Arrumei as minhas malas, mas eu falo: será que eu vou mesmo?”, conta Tayane de Jesus, 16 anos.

A Orquestra Sinfônica nasceu de uma tragédia, em 1996.

No dia 17 junho de 1996 um incêndio com quatro mortos, entre eles um bebê, comoveu o maestro Sílvio Baccarelli.

O projeto social criado por ele ensinou música erudita as crianças da favela.

Catorze anos depois, a participação no Festival Beethoven é o reconhecimento que faltava por tantos esforços. Até físicos.

“È terrível levar um instrumento desse tamanho dentro do ônibus cheio”, afirma Rafael do Nascimento Figueiredo, de 19 anos.

Do primeiro grupo de alunos, Denise entrou na sinfônica adolescente.

“É muito importante o apoio da minha mãe e eu sei que ela vai estar feliz daqui e eu de lá porque eu vou realizar um sonho meu”, diz Denise Alves de Souza.

Doze horas no ar. Entre cansaço e euforia, o mundo que se abre pra esses brasileiros é mais cordial do que imaginavam.

“A gente tinha uma ideia assim que os alemães em especial eram muito fechados e na verdade, a gente está vendo uma coisa totalmente diferente”, observa Daniela Correia, 26 anos.

“Eu achei muito lindo, muito verde, bem diferente de São Paulo, Pequeno, mas é tudo muito lindo”, comenta Natália Aragão, 24 anos.

“As mulheres daqui fazem de tudo pra ter um cabelo pixaim e as do Brasil fazem de tudo pra ter um cabelo igual delas daqui. Então eu to me sentindo. Para mim, está sendo um grande sucesso o meu cabelo ‘fuá’ do Brasil”, brinca Graziela Teixeira, 26 anos.

As exigências do maestro Tibiriçá aumentam com o passar das horas.
Um convidado famoso chega pra tocar com eles. O que atraiu o solista israelense Shlomo Mintz foi o entusiasmo desta orquestra jovem.

Foi um ritmo intenso, com longos ensaios duas vezes por dia. A orquestra de Heliópolis se preparou nas melhores salas de concerto de Bonn. É grande a responsabilidade de tocar a 8º sinfonia de Beethoven, na terra natal do gênio da música alemã.

A diretora do festival aprova a interpretação apaixonada dos brasileiros.

“É como uma canção que se transforma, mas que continua bonita”, diz Ilona Scimel.

Os nossos músicos querem saber mais sobre a vida atormentada do grande artista. E visitam a casa onde ele nasceu, em 1770.

A turma de Heliópolis diverte os alemães com samba, chorinho e simpatia.
Denise vai voltar pra casa cheia de presentes. É hospede de uma família local, como todos da orquestra.

A mãe e o pai, que a adotaram por uma semana, a recebem com carinho. E com um conforto jamais visto. Um quarto só pra ela.

“Na minha casa são 4 filhos e sempre foi um quarto pra nós quatro”, conta Denise.
Enfim, o grande dia. Tudo para brilhar.

Faltam poucos minutos. Os músicos já estão aqui em fila pra entrar no palco, nesta que será a primeira apresentação internacional da orquestra de Heliópolis. E eles vão entrar com uma evolução muito brasileira. Uma coreografia do diretor teatral José Possi Neto.
A 8ª Sinfonia de Beethoven convence a platéia. E o bis final arrebata o publico.
A festa nos camarins segue ao som de marchinhas. E até do Hino Nacional.

“A gente tem acompanhado o trabalho deles durante anos e vê que a evolução não é fantasia. É real”, comenta Silvio Baccarelli, maestro e fundador do Instituto Baccarelli.

De Heliópolis, a maior favela de São Paulo, para a consagração na Alemanha.
E este é apenas o começo.

“Meus planos são continuar estudando bastante que eu sei que os resultados virão”, almeja Rafael Figueiredo.

Fonte : G1

quarta-feira, 13 de outubro de 2010



MARIN ASLOP

Recomendamos ao público brasileiro prestar atenção e pesquisar sobre o interessante trabalho da Maestrina norte-americana Marin Aslop, 53 anos, que está à frente da Sinfônica de Baltimore e que em setembro, foi convidada para reger a OSESP/Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo.

Contratada pelo selo erudito Naxos, Aslop vem sendo premiada pela gravação do repertório sinfônico tradicional ( Brahms, Dvorák, Tchaikovsky) e prepara a integral das sinfonias do compositor russo Sergey Prokofiev ( 1891-1953).

Marin Aslop nasceu em Nova York, cursou as Universidades Yale e Juilliard School of Music e é considerada a maior maestrina em atividade.


Oficinas de Música, Literatura e Teatro do Batuque na caixa


 logomarca da Eletrosul, patrocinadora do projeto


Comemorando os 10 anos de atividades arte-educativas com ótimos resultados sociais, educativos e culturais, o projeto Batuque na caixa divulga a re-edição do cd “ Arte Brasilis “ e novas turmas que já se iniciaram nos bairros Lindóia, Interlagos, Centro Cultural da Região Norte Lupércio Luppi e Ouro Branco. Ainda há vagas para oficinas de música, literatura e teatro do projeto cultural Batuque na caixa, que desde 1999 atende comunidades carentes, proporcionando oportunidades para crianças e adolescentes.

As oficinas são gratuitas e acontecem com patrocínio da Eletrobrás/Eletrosul e em parceria com Escolas, Cufa Londrina, Projeto Cidadão Mirim e Centro Cultural Zona Norte.

O projeto já atendeu mais de 5.000 alunos, realizou mais de 300 shows em várias cidades brasileiras e recebeu os prêmios Reconhecimento Público 1999, Zumbi dos Palmares 2003, Júnia Rabello 2004 (MG) e Louvor da Assembléia Legislativa do Paraná 2009.

Seus alunos já dividiram o palco com Alcione, Palavra Cantada, Olodum, Nana Vasconcelos e Hermeto Paschoal.

Mais informações :

www.batuquenacaixa.blogspot.com

projetobatuque@bol.com.br

0xx43 8417-7239


Promoção: Instituto Cultural Arte Brasil


Patrocínio: Eletrosul
Mais projetos patrocinados : www.eletrosul.gov.br


Dissidente chinês recebe Prêmio Nobel da Paz 2010; Pequim reage com duras críticas


DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

O dissidente chinês Liu Xiaobo obteve nesta sexta-feira o Prêmio Nobel da Paz 2010 devido ao uso da não-violência na defesa dos direitos humanos no seu país natal. A China reagiu duramente, qualificando a decisão de uma "blasfêmia" ao próprio prêmio.

O regime chinês imediatamente bloqueou a notícias sobre o assunto na TV e na internet, censurando mensagens na rede com o nome do dissidente, e afirmou que a decisão põe em risco as relações entre a China e a Noruega, país-sede do instituto que confere o prêmio.

Nos últimos dias, diplomatas chineses já vinham pressionando o comitê do Nobel a não premiar Liu, advertindo que a decisão poderia comprometer as relações bilaterais entre a China e a Noruega, país que sedia o comitê organizador da premiação.

O instituto, no entanto, conferiu o prêmio recebido no ano passado pelo presidente americano, Barack Obama, ao dissidente e louvou a via pacifista adotada por ele nos protestos ao regime chinês.

ATIVISMO

Liu, 54, tem defendido uma mudança política pacífica e gradual, em vez da confrontação com Pequim. O dissidente participou dos protestos da Praça da Paz Celestial duramente reprimidos pelo governo em 1989.
Há dois anos, Liu foi coautor de um documento exortando o governo chinês a conceder mais liberdade ao país e a acabar com o domínio absoluto do Partido Comunista sobre a política chinesa.

Devido a essa carta, o Prêmio Nobel 2010 foi condenado no ano passado a 11 anos de prisão, pena que cumpre atualmente em uma penitenciária de Pequim.

O advogado de Liu, Shang Baojun, disse esperar que, "graças a essa decisão, ele seja liberado rapidamente, embora ainda seja muito cedo para se saber se será assim mesmo".
"Espero que nesta ocasião, a China se abra ainda mais, que se levantem as restrições à liberdade de expressão.


REAÇÃO

O Ministério das Relações Exteriores da China atacou a decisão e disse que o prêmio deveria, em vez disso, ser usado para a promoção da amizade internacional e do desarmamento.
"Liu Xiaobo é um criminoso sentenciado pela Justiça chinesa por violar as leis da China", disse a Chancelaria em Comunicado. "[A decisão] é completamente contrário ao próprio espírito do prêmio e é uma blasfêmia ao Nobel da Paz."

O anúncio em emissoras de TV como a americana CNN foi imediatamente censurado, e sites da internet que fazem a cobertura da premiação foram bloqueados. Tentativas de envio de mensagens de texto por celular com sobre "Liu Xiaobo" não eram possíveis.

Apesar da censura, em Pequim mais de uma dúzia de apoiadores de Liu se reuniram na entrada de um parque na região central da cidade para parabenizar o dissidente. Eles entoavam os gritos "Vida longa à liberdade de expressão, vida longa à democracia!".

Liu, no entanto, é conhecido na China apenas por ativistas políticos, e a maior parte das pessoas que passavam pelo local não paravam por não saber do que se tratava.


CRÍTICA

O presidente do comitê do Nobel, o norueguês Thorbjoern Jagland disse que "a China tem se tornado uma grande potência em termos econômicos e políticos, e é normal que grandes potências estejam sob críticas". Jagland disse que Liu é um símbolo da luta pelos direitos humanos na China.

O premiê norueguês, Jens Stoltenberg, afirmou não ver motivo para a China punir a Noruega como país pelo prêmio. "Eu acho que seria negativo para a reputação da China no mundo se eles decidissem fazer isso."

Veja a lista dos vencedores do Nobel da Paz nos últimos 10 anos:
 2010: Liu Xiaobo.
 2009: Barack Obama
 2008: Martti Ahtisaari
 2007: Intergovernmental Panel on Climate Change, Al Gore
 2006: Muhammad Yunus, Grameen Bank
 2005: Agência Internacional de Energia Atômica, Mohamed ElBaradei
 2004: Wangari Maathai
 2003: Shirin Ebadi
 2002: Jimmy Carter
 2001: ONU, Kofi Annan
 2000: Kim Dae-jung

LANÇAMENTOS, NOTAS E EVENTOS :
* foto do cartaz do Filme” Tropa de elite 2”


a) Já está disponível a edição 126 do Jornal Rascunho com Reinaldo Moraes, Cristóvão Tezza, Eduardo Giannetti e José Castelo.

www.rascunho.com.br




b) Todas as informações e trailer do Filme" Tropa de elite 2- O inimigo agora é outro", de José Padilha, com Wagner Moura, André Ramiro, Maria Ribeiro, Tainá Müller, Seu Jorge e André Mattos, em : www.tropa2.com.br




c) 8º Festival de Dança de Londrina
Coordenação Cláudio de Souza
Espetáculos diversos de dança, oficinas e eventos.
Info: www.festivaldedancadelondrina.art.br
festival@festivaldedancadelondrina.art.br




d) 16º Psychobilly Fest
Até 11 de outubro
15 bandas reunidas em Curitiba / PR
Info: www.psychobillyfest.blogspot.com
( 41) 3324-2351




e) Programação do Teatro Regina Vogue, de Curitiba, em :
www.reginavogue.com.br




f) Bienal do Livro do Paraná
Programação em : www.bienaldolivrodoparana.com.br
Acesse também : www.twitter.com/bienaldolivropr
www.facebook.com/bienaldolivropr




g) Coleção Itaú de Livros Infantis
São 4 livros para você ler e reler com as crianças.
Peça sua coleção a partir de 11/10, em : www.itau.com.br/lerfazcrescer
FUNDAÇÃO ITAÚ SOCIAL



h) O cantor, instrumentista e compositor Dominguinhos foi agraciado com o Prêmio Shell de Música 2010, no dia 5 de outubro, pelo conjunto de sua obra que valoriza os regionalismos da música brasileira.



i) Veja a nova programação do projeto musical Batuque na caixa, em:
www.tramavirtual.com.br/batuque_na_caixa
www.batuquenacaixa.blogspot.com

O projeto é patrocinado pela Eletrosul. Veja os outros projetos pelo Brasil que a Eletrosul patrocina, em : www.eletrosul.gov.br


JOSÉ CARLOS VEIGA LOPES

O historiador José Carlos Veiga Lopes ( foto) , Presidente da Academia Paranaense de Letras, morreu no domingo, dia 3 de outubro.

Autor de 16 livros, Lopes Veiga ocupava a cadeira 14 da APL e em sua gestão buscou o contato da instituição com a comunidade, tanto na eleição do escritor Laurentino Gomes ( autor dos best sellers 1808 e 1822 ) como na viabilização de um local para os eventos da APL..

Nascido em 7 de maio de 1939, na capital paranaense, Lopes tinha formação de Engenheiro Civil, pela UFPR, mas se tornou conhecido pela produção no mundo das letras.

Entre seus livros, destacam-se: Sapecada ( 1972), Esboço Histórico da Fazenda Santa Rita ( 1973) e Curucaca, ensaios sobre a ave símbolo dos Campos Gerais ( 1981).

sexta-feira, 8 de outubro de 2010


DISCOS, LIVROS, DVDs e EVENTOS CULTURAIS



MPB / Lançamentos :

Zeca Pagodinho
CD " Vida da minha Vida"
Gravadora Universal Music
( O sambista retoma uma tradição de seus primeiros discos, com sambas-canção e muito romantismo, com a beleza de versos bem desenhados por Almir Guineto, Beto sem Braço, Gilson de Souza e Nelson Sargento.


Sérgio Reis e Renato Teixeira
CD e DVD " Amizade Sincera"
Gravadora Som Livre
( Repertório da mais pura raiz, que passa pelo melhor dos dois cantores, com a participação de Paula Fernandes e Victor & Leo )


Marcelo D2 canta Bezerra da Silva
Gravadora EMI Music
( O inquieto D2 interpreta os sambas imortalizados por Bezerra. Foram amigos e cantaram juntos, além do fato de D2 ser um pesquisador e criador na fusão do samba com o hip hop)


Barbára Eugênia
CD Journal de Bad
Gravadora Independente ( distribuição Tratore )


Joyce
Feminina
Distribuidora EMI Music
( relançamento em cd do disco de 1980, com clássicos como Clareana, Mistérios e Da cor brasileira )


ERUDITO

Alondra de la Parra
Mi alma mexicana
Distribuidora Sony
( a regente mexicana dedica o álbum a compositores de seu país, como: Carlos Chávez, Silvestre Revueltas, Arturo Márquez, Mário Lavista e Manuel Ponce)


ROCK
DVD " Guidable- A Verdadeira história dos Ratos de Porão"
Direção Fernando Rick e Marcelo Appezato
Lançamento Ideal Records e Laja Records e produção de Black Vomit


DEMO SUL
As atividades extra-shows do Festival Demo Sul estão com inscrições abertas e gratuitas.
www.demosul.blogspot.com


LIVROS :

Humberto Eco
A memória vegetal e outros escritos sobre bibliofilia
Editora Record
Tradução Joana Angélica D'Ávila


Sílvia Cristina Martins de Souza
Carpinteiros teatrais
Editora da UEL ( Universidade Estadual de Londrina )
( Quatro ensaios que desenham um panorama da sociedade brasileira no século XIX, tendo o palco teatral como espaço de referência )


Luis Fernando Veríssimo
As Cobras
Editora Objetiva


João Ubaldo Ribeiro
Política- Quem manda, por que manda, como manda
Editora Objetiva


Ignácio de Loyola Brandão
Zero
Editora Global


María Dueñas
O tempo entre costuras
Tradução Sandra Maria Dolinsky
Editora Grupo Planeta


André Simões
A arte de tomar café
Editora Atrito Art Editorial



MOSTRA DE CINEMA LONDRINA
As inscrições estão abertas até 16 de outubro para curtas metragens.
Info: www.mostralondrina.com
Fone: 0xx43 3026-6932



PATROCÍNIO CULTURAL

A Secretaria Municipal de Cultura de Londrina está com inscrições abertas para projetos em todas as áreas culturais.

www.londrina.pr.gov.br/secretarias/cultura/promic



CONCURSO DE MARCHINHAS

6º Concurso Nacional de Marchinhas Carnavalescas da Fundição Progresso
Até 29/10
www.concursodemarchinhas.com.br



VISITE:

www.myspace.com/marianabaraj
( página da cantora argentina Mariana Baraj, que tem 4 discos: Lumbre ( 2002), Deslumbre ( 2005), Margarita y azucena ( 2007) e Churita ( 2010).


www.myspace.com/farofaduo
( página do duo instrumental de violões, formado por Tiago Mayer e Leopoldo Nantes e que lançaram o cd Espontâneo).


www.batuquenacaixa.blogspot.com
( blog do projeto que apresenta as atividades de sua retomada e comemoração dos 10 anos de fundação )

NOBEL PARA VARGAS LLOSA


O escritor peruano Mario Vargas Llosa, que venceu nesta quinta, 7, o Prêmio Nobel de Literatura, afirmou há pouco que sua residência em Nova York tornou-se uma espécie de "manicômio" após o anúncio da concessão da máxima distinção do gênero.

"Esta casa é um hospício, com os telefones que não param de soar, as pessoas batendo à porta, tenho vontade de esconder-me em alguma parte", disse Vargas Llosa, em entrevista à América Televisión, de Lima. O prêmio, disse o escritor, "é um reconhecimento à literatura latino-americana e à literatura de língua espanhola e isso, sim, deve alegrar a todos".
Mais cedo, ao falar sobre o assunto, o escritor se disse feliz e afirmou que esta foi "uma surpresa maiúscula, eu nem sequer lembrava de que nestes dias estavam dando o prêmio, em um primeiro momento pensei que era uma brincadeira". Ainda comentando o prêmio disse que "há muitos anos mencionou-se meu nome, mas não sabia se era sério ou não", disse Vargas Llosa.

Em outro momento da conversa, o autor peruano disse sentir "vergonha" por receber tal premiação, ao recordar que outros autores latino-americanos não a ganharam, como o argentino Jorge Luis Borges (1899-1986) ou o peruano César Vallejo (1892 -1938).
Sobre Borges especificamente, Vargas Llosa opinou que "é uma injustiça", reiterando assim a posição expressa por seu filho, Álvaro, que lembrou o argentino ao comentar a concessão do Nobel ao pai.

Sobre a escolha de seu pai, Álvaro disse: "claramente é um reconhecimento a um trabalho de muitas décadas, a alguém que soube reinventar-se em cada livro e deu respaldo às liberdades cívicas na América Latina e em países onde isso está em jogo de maneira dramática, como Cuba, Venezuela e outros".
O escritor também confirmou que na segunda semana de dezembro irá a Lima para um longo período de férias com a família, como faz todos os anos.

Ao fazer o anúncio da premiação, em um comunicado, o comitê sueco do Nobel de Literatura informou que Vargas Llosa foi escolhido "por sua cartografia de estruturas de poder e suas imagens vigorosas sobre a resistência, revolta e derrota individual".
Autor de uma série de romances, peças e ensaios, além de ser engajado na política de seu país e da América Latina, o peruano vive atualmente na cidade norte-americana, onde ministra aulas na Universidade de Princeton.

Entre suas obras, estão "A Cidade e Os Cachorros" (1963), "Pantaleão e as Visitadoras" (1973) e "Travessuras da Menina Má" (2006). Seu novo romance, "O Sonho de Celta", deve ser publicado em novembro, pelo grupo espanhol Santillana e está em fase de tradução pela editora brasileira Objetiva, que publica as obras do autor pelo selo Alfaguara.

Mineiro Pablo Lobato e cearense Yuri Firmeza apresentam videoinstalação sobre o que pode a Curadoria



Em ação conjunta, os artistas visuais mineiro Pablo Lobato e o cearense Yuri Firmeza apresentarão a videoinstalação intitulada "O que exatamente vocês fazem, quando fazem ou esperam fazer curadoria?", no Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza, a partir desta quinta-feira, 7, às 18 horas. Com entrada franca, a videoinstalação ficará disponível à visitação pública até o próximo dia 7 de novembro (horários de visitação: terça-feira a sábado, de 10h às 20h; aos domingos, de 10h às 18h).

O projeto da dupla consiste na produção de uma videoinstalação criada a partir de conversas com inúmeros curadores que vivem e trabalham em distintas regiões do Brasil. Os dois artistas viajaram pelo País, gravando em vídeo as falas dos curadores convidados a partir da pergunta que intitula o projeto .

Para além de uma aparente ironia que se insinua na inversão dos papéis artista/curador, o projeto O que exatamente vocês fazem, quando fazem ou esperam fazer curadoria? promove uma aproximação de práticas e pensamentos no sentido de revelar sensibilidades, alimentar a criação de novas experiências e problematizar estagnações de um campo de poder cada vez mais atuante no sistema da arte - a curadoria.

Após a filmagem, foi feita a edição e a programação da videoinstalação - montagem formada por cinco monitores de vídeo e organizada em círculo evocando uma mesa redonda. A cada momento a imagem e/ou a fala de um curador é disparada em um dos monitores.

A alternância destes disparos sugere a dinâmica de uma conversa. Por exemplo, o curador X, em um dos televisores, apresenta sua fala enquanto todos os outros monitores exibem imagens dos demais curadores em silêncio, oferecendo o tempo da escuta. Encerrada a colocação do curador X, por meio da edição e programação da videoinstalação, o curador Y prossegue com a palavra, corroborando com a discussão e assim sucessivamente.

O ritmo desta conversa criada também alcançará a devida autonomia de um corpo que ultrapassa a idéia de uma coleção de pontos de vista. "O material irá constituir um corpo audiovisual, nos aproximando dele através dos dispositivos escolhidos: as falas, provocadas por uma mesma questão e destinadas à composição de um espaço específico: o círculo de monitores instalados. A edição dos vídeos e a composição das falas dentro do círculo são os recursos fundamentais para a criação de tal ambiente", destaca Yuri Firmeza.



Curadoria: campo de poder no sistema de arte

Ao longo dos últimos dez anos a função do curador vem se configurando como um lugar extremamente valorizado no campo das artes. Esta valorização implica um complexo e delicado arranjo de novas relações que nos forçam a pensar. Diante da atualidade desta questão que se impõe passamos à palavra aos próprios curadores: O que exatamente vocês fazem, quando fazem ou esperam fazer curadoria?

O poder exercido pelo curador hoje, além de mediar a aproximação entre diferentes produções artísticas, agenciando forças e sentidos possíveis de determinadas obras, opera também na formação de acervos institucionais e na produção de um pensamento crítico, afetando assim as diversas instâncias de legitimação da arte. "Acreditamos pois, ser de extrema relevância pensar de forma mais compartilhada 'O que pode a curadoria?'", enfatiza Yuri Firmeza.

A presente videoinstalação desenvolve-se a partir da ação conjunta de dois artistas que vivem e trabalham em diferentes estados do Brasil - Pablo Lobato, em Minas Gerias e Yuri Firmeza, no Ceará. Ambos são Jovens artistas que tiveram a oportunidade de iniciar esta pesquisa conjunta no biênio 2007/2008, durante o 29º Salão Nacional de Arte de Belo Horizonte - Bolsa Pampulha, quando Yuri deixou Fortaleza para viver em Belo Horizonte. Neste período os artistas escreveram juntos o texto Bordas para misturar, publicado no caderno Pensar do Jornal Estado de Minas, expressando o interesse pela investigação de certos campos de poder do sistema da arte.





ENTREVISTAS E INFORMAÇÕES ADICIONAIS:

* Pablo Lobato - (31) 8471.8604 / 2127.0058 - lobatopa@uol.com.br

* Yuri Firmeza - (85) 8758.2146 - yurifirmeza@hotmail.com

* Aline Xavier (produtora da videoinstalação) - (31) 9801.7264 - alinex@gmail.com

* Jacqueline Medeiros (coordenadora de Artes Visuais do CCBNB) - (21) 8023.6519 - jacquerlm@bnb.gov.br

* Luciano Sá (assessor de imprensa do Centro Cultural Banco do Nordeste) - (85) 3464.3196 / 8736.9232 - lucianoms@bnb.gov.br

quarta-feira, 6 de outubro de 2010


Artista recifense José Patrício lança livro "Cogitações sobre o Número" em encerramento de exposição



O Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - Centro - fone: (85) 3464.3108) lança o livro "José Patrício: Cogitações sobre o Número", nesta quarta-feira, 29, às 19 horas, com entrada franca.


Segundo José Patrício, a publicação é um livro de "meio de carreira", que se propõe a fazer um balanço sobre a sua obra pelo curador e crítico de arte Paulo Herkenhoff.


O lançamento do livro acontece um dia antes do encerramento da exposição "José Patrício: o Número", em cartaz no CCBNB-Fortaleza desde o dia 10 de agosto até a próxima quinta-feira, 29. Todo o conteúdo do livro pode ser encontrado no seguinte link na Internet: http://www.4shared.com/document/x-DHz0Ka/Jos_Patrcio_Cogitaes_Sobre_o_N.html.


O livro apresenta também um conjunto de observações do artista pernambucano José Patrício sobre o desenvolvimento do seu trabalho, extraído de conversa com Paulo Herkenhoff, realizada em junho deste ano, no curso da preparação da exposição e do livro para o Centro Cultural Banco do Nordeste.


O artista e o curador participam, no CCBNB-Fortaleza, de uma troca de ideias com o público na data do lançamento do livro (quarta, 29, às 19h).Na obra, José Patrício oferece um exemplo interessante das respostas insólitas em que se manifesta a inclinação construtiva na arte do Brasil. Ele começou com composições geométricas de diferentes elementos seriados. Sua pesquisa com objetos obtidos da realidade levou-o às peças de dominó. Esse jogo tornou-se um material com muitas possibilidades que ele tem explorado há tempos em suas instalações.


As instalações de Patrício com os dominós têm um aspecto formal e construtivo e outro conceitual. O artista cria bonitas e sugestivas composições, às vezes com efeitos óticos, valendo-se das configurações que são estabelecidas pelos pontos nas pedras, pelas diferentes cores e materiais das mesmas, e pela estrutura serial.


Os procedimentos para a construção da obra são regidos por uma lógica aritmética determinista, por uma ordem expressa, cujo resultado final depende da aventura representada pela intervenção do acaso, sendo definido no momento mesmo da montagem das peças com suas variáveis numéricas e cromáticas.


A edição do livro é bilíngue (português e inglês), com reprodução fotográfica de 142 obras, texto de Paulo Herkenhoff, projeto gráfico da Zot Design, produção da Imago Escritório de Arte e edição da Editora Cobogó. Características do livro: 260 páginas, formato aberto 540 x 250 mm, formato fechado 270 x 250 mm, capa dura, impressão quatro cores, papel fosco 150 g/m2, impresso na gráfica Santa Marta da Paraíba.


José Patrício - trajetória artística


José Patrício nasceu no Recife em 1960. Formou-se em Ciências Sociais na Universidade Federal de Pernambuco em 1982. Estudou na Escolinha de Arte do Recife de 1976 a 1980. Vive e trabalha no Recife.


A primeira exposição coletiva foi em 1976, no IV Salão dos Novos no Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco. Em 1982, recebeu o Prêmio Aquisitivo e Prêmio Artista Pernambucano Mais Promissor no 38o Salão de Artes Plásticas de Pernambuco, no Museu do Estado de Pernambuco. Em 1983, fez sua primeira exposição individual na Oficina Guaianases de Gravura, em Olinda. Nesses mais de trinta anos de trabalho vem participando de exposições individuais e coletivas em instituições no Brasil e no exterior. Entre as mostras individuais estão a do Museu de Arte Moderna da Bahia em Salvador, do Paço das Artes em São Paulo, do Paço Imperial no Rio de Janeiro, do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães no Recife, do Pharos Centre for Contemporary Art, em Nicósia, no Chipre, do Projeto Octógono Arte Contemporânea na Pinacoteca do Estado de São Paulo, da Abbaye de Sylvacane, em Aix-en-Provence, na França.


Entre as mostras coletivas estão a 22ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1994, o Panorama da Arte Brasileira - Museo de Arte del Banco de la República de Bogotá, na Colômbia; Arte pela Amazônia, na Fundação Bienal de São Paulo, Brasil Arte Contemporânea, na ARCO 2008 em Madrid, LO[S] CINÉTICO[S], no Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, em Madri, Novas aquisições 2006/2007 na Coleção Gilberto Chateaubriand, no MAM Rio de Janeiro, Abrigo Poético - Diálogos com Lygia Clark, no MAC Niterói, e Contemporary Brazilian Art, no Espasso Design Gallery, em Nova York.


As obras de José Patrício integram as seguintes coleções de arte: Fondation Cartier pour L'Art Contemporain, em Paris, Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães, no Recife, Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco, em Olinda, Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, Fundação Joaquim Nabuco, no Recife, Fundação Nacional de Arte - Funarte, no Rio de Janeiro, Museu do Estado de Pernambuco, no Recife, Museu de Arte Assis Chateaubriand, em Campina Grande, Museu de Arte Moderna da Bahia, em Salvador, Banco Itaú S.A., Coleção Marcantonio Villaça, Coleção Gilberto Chateaubriand / Museu de Arte Moderna no Rio de Janeiro, Coleção João Sattamini / Museu de Arte Contemporânea de Niterói no RJ.



ENTREVISTAS E INFORMAÇÕES ADICIONAIS:* José Patrício - (81) 9138.1068 / 3443.0522; e-mail: josepatricio@uol.com.br - www.josepatricio.com.br * Paulo Herkenhoff - (21) 9996.4119 / 2235.2319* Jacqueline Medeiros (coordenadora de Artes Visuais do CCBNB) - (21) 8023.6519 - jacquerlm@bnb.gov.br* Luciano Sá (assessor de imprensa do Centro Cultural Banco do Nordeste) - (85) 3464.3196 / 8736.9232 - lucianoms@bnb.gov.br

I FESTIVAL DE TEATRO DE RIBEIRÃO PRETO



Estão abertas as inscrições para o I Festival de Teatro de Ribeirão Preto, que será realizado de 7 a 17 de novembro deste ano, nos seguintes espaços: Theatro Pedro II, Teatro Municipal, Teatro de Arena, Esplanada do Theatro Pedro II, SESC-RP e algum outro espaço alternativo.


O I Festival de Teatro é uma realização conjunta da Secretaria Municipal da Cultura, Fundação D. Pedro II e Sesc-RP. Nele teremos Mostra de Teatro não competitiva, Oficina teórico-prática para Atores e Diretores Teatrais, Cafés Filosóficos com dramaturgos, Fórum Permanente de Cultura com o tema: Política Pública de Teatro para Ribeirão Preto.


As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pessoalmente na Fundação D. Pedro II, que fica na Rua Álvares Cabral, 370, das 8h às 12h e das 14h às 17h, nos dias úteis, até o dia 7 de outubro, de acordo com o EDITAL DE CHAMADA.


As inscrições para as Oficinas, Cafés Filosóficos e o Fórum Permanente de Cultura serão aceitas até o dia 7 de novembro de 2010 em formulário a ser disponibilizado pelos organizadores. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3977-8111 ou 3636-1206, ramais 227 e 208.

Exposição de fotografias sobre arquiteturas populares de Portugal entra em cartaz no CCBNB-Fortaleza



O Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - Centro - fone: (85) 3464.3108) abrirá a exposição de fotografias intitulada "Arquitecturas populares: memórias do tempo e do patrimônio construído", do arquiteto e fotógrafo português António Menéres, nesta quinta-feira, 7, às 18 horas. Com entrada franca, a exposição fica em cartaz até o dia 28 de outubro (horários de visitação: terça-feira a sábado: 10h às 20h; e aos domingos, de 10h às 18h).


A exposição abrange, com a exibição de 84 fotos, um largo espectro temporal e espacial. Menéres dividiu-a em conjuntos, denominados: As velhas memórias; Ambientes; Habitação; A arquitectura do trabalho; O sol, a terra e a água; A arquitectura do sentimento religioso; O "saber" do detalhe; e Gentes.


Na exposição, transparece o espírito norteador dos realizadores do Inquérito (um trabalho de investigação cultural desenvolvido em Portugal entre 1955 e 1960), marcado pela imbricação dos estudos de arquitetura popular em conceitos de Antropologia Cultural.


O grupo de fotos denominado "As velhas memórias", por exemplo, reúne construções pré-romanas, romanas e medievais, todas bem anteriores ao surgimento do Brasil como nação. António Menéres dedica-se à fotografia desde menino. Assim, além das tarefas que lhe competiram na época dos trabalhos do Inquérito, quando foram colhidas mais de 11 mil fotografias, Menéres possui uma coleção que "ultrapassa os 15 mil disparos", conforme suas palavras.


Desse acervo admirável, guardado com carinho e desvelo à espera de propagação ampla, António Menéres selecionou 84 exemplares, que agora mostra no Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza.Ele diplomou-se em Arquitetura pela antiga Escola Superior de Belas Artes do Porto (ESBAP), instalada no Palacete do Braguinha, em São Lázaro, na zona central da cidade do Porto.


Quando do desmembramento da ESBAP, criou-se a atual Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), localizada em ponto mais distante, no Campo Alegre. A FAUP é a prestigiosa entidade de ensino na qual Menéres foi professor, hoje aposentado.


ENTREVISTAS E INFORMAÇÕES ADICIONAIS:* António Menéres - (85) 3234.1692 (falar com José Lemenhe) / (85) 3223.5142 (falar com Liberal de Castro)* Jacqueline Medeiros (coordenadora de Artes Visuais do CCBNB) - (21) 8023.6519 - jacquerlm@bnb.gov.br * Luciano Sá (assessor de imprensa do Centro Cultural Banco do Nordeste) - (85) 3464.3196 / 8736.9232 - lucianoms@bnb.gov.br


PAULO UBIRATAN





O jornalista Paulo Ubiratan ( falecido na noite de 2 de outubro) era, antes de tudo, um autêntico londrinense: crítico, entusiasta e que trazia a história da cidade em seu coração.

O gaúcho, que adotou o Norte do Paraná, desde os anos 80, foi realmente um estimulador do resgate da memória do nosso passado e sou testemunha, do quanto incentivou jovens profissionais do jornalismo, dando-lhes oportunidades reais e do quanto incentivou o debate de idéias a respeito das ações políticas, educacionais e culturais da nossa região.

Com uma cultura invejável e uma ironia necessárias ao formador de opinião, Ubiratan era de fato referência na análise de fatos e do futuro de Londrina e por isto lutou tanto para que a cidade se tornasse melhor.

Do seu microfone e do seu famoso bordão" Trabalhador, trabalhadora, pensem nisso!", fica o legado de um jornalismo ético e voltado aos interesses da comunidade.


Aldo Moraes

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Audioteca Sal e Luz

Caros amigos,Venho por meio deste e-mail divulgar o trabalho maravilhoso que é realizado na Audioteca Sal e Luz e corre o risco de acabar.A Audioteca Sal e Luz é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, que produz e empresta livros falados (audiolivros) .

Mas o que seria isto? São livros que alcançam cegos e deficientes visuais, (inclusive os com dificuldade de visão pela idade avançada) de forma totalmente gratuita.Seu acervo conta com mais de 2.700 títulos que vão desde literatura em geral, passando por textos religiosos até textos e provas corrigidas voltadas para concursos públicos em geral. São emprestados sob a forma de fita K7, CD ou MP3.

E agora, você está se perguntando: o que eu tenho a ver com isso? É simples. Nos ajude divulgando. Se você conhece algum cego ou deficiente visual, fale do nosso trabalho. DIVULGUE!

Para ter acesso ao nosso acervo, basta se associar na nossa sede, que fica situada à Rua Primeiro de Março, 125- Centro. RJ.

Não precisa ser morador do Rio de Janeiro.A outra opção , foi uma alternativa que se criou face a dificuldade de locomoção dos deficientes na nossa cidade.Eles podem solicitar o livro pelo telefone, escolhendo o título pelo site, e enviaremos gratuitamente pelos Correios.

A nossa maior preocupação reside no fato que, apesar do governo estar ajudando imensamente, é preciso apresentar resultados. Precisamos atingir um número significativo de associados, que realmente contemplem o trabalho, se não ele irá se extinguir e os deficientes não poderão desfrutar da magia da leitura.

Só quem tem o prazer na leitura, sabe dizer que é impossível imaginar o mundo sem os livros... Ajudem-nos, Divulguem!

Atenciosamente,Christiane Blume
Audioteca Sal e LuzRua Primeiro de Março, 125- 7o Andar.Centro- RJ. CEP 20010-000Fone: (21) 2233-8007 Horário de atendimento: 08:00 às 16:00 horashttp://audioteca.org.br/noticias.htm