quinta-feira, 20 de julho de 2017

VOCALISTA DA BANDA LINKIN PARK É ACHADO MORTO

Chester Bennington, vocalista da banda Linkin Park, foi encontrado morto nesta quinta-feira (20) em sua casa perto de Los Angeles, na Califórnia (EUA), informou a agência Associated Press. Segundo um porta-voz da polícia local, a morte é investigada como suicídio.

O Linkin Park teve seu auge no início dos anos 2000, com os álbuns "Hybrid theory" e "Meteora". Na época, o grupo emplacou seu rock alternativo, com influência de rap e metal, em paradas de sucessos, com músicas como "Faint", "In the end", "Crawling" e "Numb". 

A banda ganhou dois prêmios Grammy, pela performance de "Crawling" e pelo single "Numb/Encore", do disco "Collision Course", gravado em colaboração com o rapper Jay-Z em 2004. 

O último disco lançado pelo Linkin Park, "One More Light", saiu em maio deste ano e o grupo estava em turnê pelos Estados Unidos, com shows marcados até outubro.

MORRE MARCO AURÉLIO GARCIA

assessor especial para Assuntos Internacionais dos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, Marco Aurélio Garcia, morreu aos 76 anos nesta quinta-feira (20), em São Paulo, vítima de infarto, informou o PT.

Marco Aurélio Garcia foi um dos fundadores do PT e ocupou a função de secretário de Relações Internacionais do partido. Era professor aposentado de história de Universidade de Campinas (Unicamp). 

Garcia nasceu em Porto Alegre (RS) e atuou no movimento estudantil de esquerda. 

Nos anos 1960, foi vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE) e vereador em Porto Alegre. Nos anos 1970 viveu na França e no Chile e voltou ao Brasil em 1979 para ajudar a fundar o PT. 

Aurélio Garcia era formado em filosofia e em direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Ele tinha ter pós-graduação na Escola de Altos Estudos e Ciências Sociais de Pari.
 
Além de professor da Unicamp, ele também foi professor na Universidade do Chile, na Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais e nas universidades Paris VIII e Paris X, na França.

RECEITA FEDERAL PERMITE NOME SOCIAL NO CPFF

A Secretaria da Receita Federal modificou instrução normativa que trata do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) para introduzir três novas hipóteses de alteração de dados no documento diretamente pelo órgão. Isso poderá ocorrer "quando houver interesse da administração tributária", "em atendimento a determinação judicial" ou "para inclusão ou exclusão de nome social de pessoa travesti ou transexual".

No caso do nome social, a mudança será feita mediante requerimento do interessado. A nova IN está publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, 20

HOMENAGEM A NEY MATOGROSSO NO PREMIO DA MÚSICA BRASILEIRA 2017

A obra de Ney Matogrosso é a grande homenageada na vigésima oitava edição do Prêmio da Música Brasileira, realizada na noite desta quarta-feira (19), no Theatro Municipal do Rio. Além da exaltação ao trabalho do Camaleão, 79 artistas concorrem em 35 categorias da premiação.

Veja a lista de indicados (vencedores em negrito):

MPB

Álbum:
"Abraçar e agradecer" (Maria Bethânia)
"Batom bacaba" (Patricia Bastos)
"The bridge" (Lenine e Martin Fondse Orchestra)
Cantor:
João Fenix ("De volta ao começo")
Lenine ("The bridge")
Vidal Assis ("Álbum de retratos")
Ivete Sangalo interpreta 'Sangue Latino', do Secos & Molhados (Foto: Carlos Brito/G1) Ivete Sangalo interpreta 'Sangue Latino', do Secos & Molhados (Foto: Carlos Brito/G1)
Ivete Sangalo interpreta 'Sangue Latino', do Secos & Molhados (Foto: Carlos Brito/G1)
Cantora:
Maria Bethânia ("Abraçar e agradecer")
Patricia Bastos ("Batom bacaba")
Zizi Possi ("O mar me leva")
Grupo:
MPB4 ("O sonho, a vida, a roda viva!")
Quarteto em Cy ("Janelas abertas")
Tão do Trio ("Flor de dor: Tão do Trio canta Etel Frota)
  • MELHOR CANÇÃO:
  • "Descaração familiar" (Tom Zé)
  • "Dizputa" (Carol Naine)
  • "Nunca mais vou jurar" (Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz e Marcelinho Moreira)
  • REVELAÇÃO:
  • BaianaSystem ("Duas cidades")
  • Liniker e Os Caramelows ("Remonta")
  • Vidal Assis ("Álbum de retratos")

CANÇÃO POPULAR

  • Álbum:
  • "Cine ruptura" (Saulo Duarte e a Unidade)
  • "Elza canta e chora Lupi" (Elza Soares)
  • "Gatos e ratos" (Odair José)
  • Dupla:
  • Leonardo e Eduardo Costa ("Cabaré night club")
  • Milionário e Marciano ("Lendas")
  • Zezé di Camargo e Luciano ("Dois tempos")
  • Grupo:
  • Roupa Nova ("Todo amor do mundo")
  • Samuca e a Selva ("Madurar")
  • Saulo Duarte e a Unidade ("Cine ruptura")
  • Cantora:
  • Ellen Oléria ("Afrofuturista")
  • Elza Soares ("Elza canta e chora Lupi")
  • Ivete Sangalo ("Acústico em Trancoso")
  • Cantor:
  • Luiz Caldas (Pré-axé")
  • Odair José ("Gatos e ratos")
  • Romero Ferro ("Arsênico")
Chico Buarque interpretando Chico Buarque interpretando
Chico Buarque interpretando "As Vitrines" (Foto: Carlos Brito/G1)

POP/ ROCK/ REGGAE/ HIP-HOP/ FUNK

  • Álbum:
  • "Canções eróticas de ninar" (Tom Zé)
  • "Palavras e sonhos" (Luiz Tatit)
  • "Tropix" (Céu)
  • Grupo:
  • BaianaSystem ("Duas cidades")
  • Metá Metá ("MM3")
  • O Terno ("Melhor do que parece")
  • Cantora:
  • Céu ("Tropix")
  • Larissa Luz ("Território conquistado")
  • Maria Gadú ("Guelã ao vivo")
  • Cantor:
  • Rael ("Coisas do meu imaginário")
  • Silva ("Silva canta Marisa")
  • Zeca Baleiro ("Era domingo")

SAMBA

  • Álbum:
  • "De bem com a vida" (Martinho da Vila)
  • "O quintal do Pagodinho: Ao vivo - Vol. 3" (Zeca Pagodinho)
  • "Samba original" (Pedro Miranda)
  • Cantora:
  • Mart'nália ("Misturado")
  • Roberta Sá ("Delírio no Circo")
  • Teresa Cristina ("Teresa Cristina canta Cartola")
  • Cantor:
  • Martinho da Vila ("De bem com a vida")
  • Pedro Miranda ("Samba original")
  • Zeca Pagodinho ("O quintal do Pagodinho: Ao vivo - Vol. 3")
  • Grupo:
  • Casuarina ("7")
  • Galocantô ("Pano verde")
  • Grupo Bongar ("Samba de gira")

REGIONAL

  • Álbum:
  • "Cabaça d'água" (Alberto Salgado)
  • "Celebração" (Valdir Santos)
  • "Vivo! Revivo!" (Alceu Valença)
  • Grupo:
  • Grupo Rodeio ("Trilhando o Rio Grande")
  • Serelepe ("Forró por aí...")
  • Viola Quebrada ("Meus retalhos")
  • Dupla:
  • Caju e Castanha ("O papo no WhatsApp")
  • Craveiro e Cravinho ("Canta Tonico e Tinoco")
  • Zé Mulato e Cassiano ("Bem-humorados")
  • Cantor:
  • Alberto Salgado ("Cabaça d'água")
  • Alceu Valença ("Vivo! Revivo!")
  • Raymundo Sodré ("Os girassóis de Van Gogh")
  • Cantora:
  • Ana Paula da Silva ("Raiz forte")
  • Dona Onete ("Banzeiro")
  • Socorro Lira ("Cores do Atlântico")

INSTRUMENTAL

  • Álbum:
  • "A saga da travessia" (Letiers Leite e Orkestra Rumpilezz")
  • "Alegria" (Hamilton de Holanda)
  • "Outra coisa" (Anat Cohen e Marcello Gonçalves)
  • Solista:
  • Hamilton de Holanda
  • Mestrinho
  • Toninho Ferragutti
  • Grupo:
  • Banda Mantiqueira ("Com alma")
  • Letiers Leite e Orkestra Rumpilezz ("A saga da travessia")
  • Trio Madeira Brasil ("Ao vivo em Copacabana")
  • Arranjador:
  • Letieres Leite (por "A saga da travessia, de Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz")
  • Luis Felipe de Lima (por "Samba original, de Pedro Miranda)
  • Zé Manoel (por "Delírio de um romance a céu aberto", de Zé Manoel)
  • Projeto visual:
  • Filipe Cartaxo (por "Duas cidades", de BaianaSystem)
  • Giovanni Bianco (por "Amor geral", de Fernanda Abreu)
  • Mário Niveo (por "Jardim pomar", de Nando Reis)

CATEGORIAS ESPECIAIS

  • Álbum eletrônico:
  • "Craca, Dani Nega e o dispositivo tralha" (Craca e Dani Nega)
  • "Incerteza" (Retalho)
  • "Subtropical temperado" (Projeto CCOMA)
  • Álbum infantil:
  • "Farra dos Brinquedos" (Farra dos Brinquedos)
  • "Os saltimbancos sinfônico" (Orquestra Petrobras Sinfônica)
  • "Vem dançar" (Pequeno Cidadão)
  • Álbum em língua estrangeira:
  • "Old friends (the songs of Paul Simon)" (Ritchie e Black Tie)
  • "Perpetual gateways" (Ed Motta)
  • "Yentl em concerto" (Alessandra Maestrini)
  • Álbum erudito:
  • "Ernesto Nazareth integral" (Maria Teresa Madeira)
  • "Latinidade, música para as Américas" (Orquestra Ouro Preto)
  • "Radamés toca Radamés" (Quarteto Radamés Gnatalli)
  • Álbum projeto especial:
  • "A luneta do tempo" (Alceu Valença)
  • "Delírio de um romance a céu aberto" (Zé Manoel)
  • "Irineu de Ameida e o oficleide 100 anos depois" (vários artistas)
  • Melhor DVD:
  • "A democracia da madeira" (vários artistas)
  • "Dobrando a Carioca" (Zé Renato, Moacyr Luz, Jards Macalé e Guinga)
  • "Rainha dos raios ao vivo" (Alice Caymmi)
Zeca Pagodinho recebe o prêmio de melhor cantor na categoria Samba (Foto: Carlos Brito/G1) Zeca Pagodinho recebe o prêmio de melhor cantor na categoria Samba (Foto: Carlos Brito/G1)
Zeca Pagodinho recebe o prêmio de melhor cantor na categoria Samba (Foto: Carlos Brito/G1)

quarta-feira, 19 de julho de 2017

MÚSICA CONTEMPORANEA PERDE SÉRGIO ROBERTO DE OLIVEIRA

Morreu na madrugada de quarta (19/7) no Rio, o jovem compositor Sérgio Roberto de Oliveira.


 
Indicado ao Grammy Latino 2011 na categoria “Melhor Composição Clássica Contemporânea”, o compositor carioca Sergio Roberto de Oliveira participou ativamente do cenário musical brasileiro e internacional em seus 15 anos de carreira. No exterior, sua obra tem tido cada vez mais destaque, notadamente nos EUA e na Inglaterra, com palestras, entrevistas, concertos e publicação de obras.

Nascido em 1970, estudou composição com Guerra-Peixe e Dawid Korenchendler e  bacharel em composição pela UNIRIO. Tem se notabilizado como um dos compositores mais ativos e executados da música contemporânea brasileira. Sua obra tem sido amplamente divulgada por grupos como o Quareto Radamés Gnattali, Duo Santoro, Música Nova, GNU, Quarteto Colonial, entre muitos outros.

Na Inglaterra tem como intérpretes dois dos grandes músicos do país: o flautista barroco Stephen Preston e o flautista doce John Turner. Preston, realizou turné com a obra “Faces” e encomendou uma outra: “About birds and humans”, estreada em Londres (2006). Turner, além de um dos principais flautistas doces da Europa, é editor do catálogo de música contemporânea “The Contemporary Recorder” da editora Peacock Press. A editora publicou a obra “Expresso”, e Turner, estreou em Manchester a obra “Frevo”, que havia encomendado, em concerto promovido por The North West Composers’ Association e The British Academy of Composers and Songwriters. Em 2008, a convite da Embaixada Brasileira em Londres, realizou concerto-palestra, lançando o seu CD “Sem Espera”, indo em seguida a Manchester, para uma palestra-concerto na University of Salford.

Nos Estados Unidos a obra de Oliveira tem sido divulgada desde 1999. São dezenas de concertos e encomendas por grupos como o Mélomanie (que já acertou a gravação em seu próximo CD de “Angico” e a encomenda de mais uma obra). Estão ainda entre seus intérpretes o Ciompi Quartet, Tracy Richardson, Susan Fancher, Tom Moore, entre outros. Neste país, Oliveira tem as obras “Faces” e “Mot pour Laura” publicadas pela editora Falls House Press. Vários artigos em revistas especializadas e sites têm citado o compositor, como The flutist quarterly (“Circus Brasilis - The flute music of Sergio Roberto de Oliveira”), Early Music America (“Something New for Early Music”) site Andante (“The heirs of Villa-Lobos), 21st Century Music, musicabrasileira.org, etc. Sergio Roberto de Oliveira tem sido convidado constantemente para palestras em universidades americanas, já tendo proferido mais de uma dezena delas em universidades como Princeton e Duke, Em 2009 foi Artist-in-Residence na mesma Duke University.

Além dos Estados Unidos e Inglaterra, a música de Oliveira tem sido tocada também na Itália (Milão, Trento e Udine) e Holanda (Amsterdam).

Seu grupo de compositores, Prelúdio 21, é um dos mais ativos do mundo. Tem tido destaque no cenário da música contemporânea brasileira, atuando há 13 temporadas ininterruptas, tendo desde 2008 uma série permanente de concertos mensais. Em 2011 o grupo lançou o CD “Quartetos de Cordas”, com interpretação do Quarteto Radamés Gnattali.

  Como produtor, esteve à frente do Prelúdio 21 ,grupo de compositores que tem se consolidado um dos mais importantes do mundo, há 13 anos com temporadas regulares e média surpreendente de público. Atuou como produtor executivo - destaque para a coordenação da produção dos eventos de música erudita do Festival de Inverno do SESC de 2005, “Strange News”, (obra multimídia norueguesa) - produtor fonográfico (Selo A Casa Discos) e produtor musical (destaque para o CD “Da Boca Pra Dentro”, indicado para o prêmio Rival Petrobras de Música Brasileira). Atuou como coordenador de produção e diretor artístico do projeto “O piano de Guerra-Peixe” (CD duplo e concertos nas 5 regiões do Brasil), com patrocínio da Petrobras. No momento, coordena a produção do projeto “Villa-Lobos, Vozes do Brasil - obra coral profana”, do grupo Calíope, também com patrocínio da Petrobras.

Sua discografia apresenta 5 CDs como produtor (em dezembro de 2012 serão 11), 6 como compositor (em dezembro de 2012 serão 11), 12 como produtor fonográfico (em dezembro de 2012 serão entre 18 e 20), 2 como arranjador e 2 como pianista.

Sergio Roberto de Oliveira era membro da Academia Latina de Artes e Ciência da Gravação®.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

ROGER FEDERER CONQUISTA OITAVO TÍTULO EM WIMBLEDON

O suíço Roger Federer  completou a campanha irretocável e conquistou o octacampeonato no torneio de Wimbledon com vitória arrasadora sobre o croata Marin Cilic, número 6 do mundo, parciais de 6/3, 6/1 e 6/4 em 1h34 de final neste domingo. Com a conquista, Federer se isolou como maior vencedor homem do Grand Slam britânico. Ele estava empatado com o americano Pete Sampras.


O ex-número 1 do mundo levantou o 19ª troféu de Grand Slam, sendo o tenista com mais títulos na história entre os homens. O recorde de Federer em finais de Grand Slams é de 19 vitórias e 10 vice-campeonatos. Aos 35 anos, o natural da Basileia também se tornou o tenista mais velho a vencer o torneio de Wimbledon na Era Aberta (1968), quando o tênis se profissionalizou. Ele completa 36 anos daqui a menos de um mês, em 8 de agosto.

CINEMA PERDE GEORGE ROMERO E MARTIN LANDAU

Depois de receber duas indicações para o Oscar, pelos filmes "Crimes e pecados", de Woody Allen, e "Tucker", de Francis Coppola, Landau finalmente recebeu o prêmio em 1995. Ele finalmente levou a estatueta com grande atuação em "Ed Wood", de Tim Burton, onde interpretou Bela Lugosi, lendário ator que fez "Drácula".
 

O diretor de cinema George A. Romero, conhecido por seu trabalho em 'A noite dos mortos-vivos', morreu neste domingo (16), aos 77 anos. Ele é considerado o criador do estilo de filmes de zumbis modernos, com o filme de 1968, que inspirou, por exemplo, a série "The Walking Dead".


Feito em preto e branco, "A noite dos mortos-vivos" foi um filme de pouco investimento, apenas US$ 114 mil, mas acabou fazendo muito sucesso e praticamente recriando o gênero de zumbis. O longa arrecadou cerca de US$ 30 milhões e se tornou um clássico